Colegas de escola

r/Brasil

2008.02.15 21:22 r/Brasil

A casa dos brasileiros no Reddit. Leia as regras e participe de nossa comunidade! The Brazilian community on Reddit. Feel free to post in English or Portuguese!
[link]


2020.11.24 19:34 G_a_b_z Preciso de conselhos de pessoas mais velhas.

Soube que pode ter menores de idade aqui, então vamos direto ao ponto. Vou fazer textão e sentar o dedo no teclado.
Recentemente venho me deparado com a adolescência (e eu não sei se isso é a famosa “fase” ou um problema mais sério) e isso vem mexendo comigo de uma maneira absurda ao ponto de ter crises.
Acredito que isso seja a sensação que todos nós sentimos ao sair da infância, saudade. Mas eu sinto que não aproveitei minha infância. Eu não tinha irmãos da mesma idade que eu, não tive amigos próximos, mal saia eu para brincar na rua (sai algumas vezes mas não muito). Eu era uma criança extrovertida e feliz.
Ao entrar na adolescência eu percebi que não fiz amizades nenhuma, ou seja eu passo dias e dias sozinhas sem conversar ou ter contato com alguém da minha idade, eu também não tenho habilidade nenhuma para conversas com ninguém da minha idade e isso fez com que eu não tivesse amigos nenhum na escola ou em qualquer ambiente social. E eu sinto que eu passo tanto tempo em casa (porque meus pais não me deixam sair) que eu não pude cultivar nenhuma amizade, eu não brinquei como eu queria, eu não curti a minha infância como eu queria, e sinto que por estar me sentindo triste pela minha infância, eu também estou perdendo minha adolescência.
Eu tenho casa com piscina, celular da moda, meus pais têm dinheiro,e eu até sou considerada uma “menina bonita” mas eu não tenho amigos, eu não tenho ninguém pra conversar. E eu também não consigo mais conversar, eu não me encaixo em nenhum grupo social, e parece que NINGUÉM da minha idade me entende. Algumas pessoas da minha idade já estão começando uma vida sexual e a frequentar festas adultas ( PRECOCE ), outros agem como crianças pequenas, e eu simplesmente não consigo levar uma conversa com ninguém, eu até consigo falar um pouquinho, mas logo acaba p interesse e eu continuo sem nenhum colega para jogar conversa fora.
Eu também não posso sair de casa, o que me faz passar muito tempo lendo ou mexendo no celular, e eu comecei a colecionar hábitos considerados “estranhos” ou “incomuns” para algumas pessoas da minha faixa etária.
É tão complicado essa coisa de fazer amigos, é tão estranho como as relações sociais são complexas (Se elas fossem fáceis, não existiria curso de sociologia). Parece que todo mundo recebeu um manual de como ser adolescente ou como fazer amigos e eu fui a única esquecida. Ah, eu tentei frequentar algumas festas (não festas adultas; aniversários de colegas de classe) e sai chorando, porque percebi que não dá.
Por isso eu sinto falta da minha infância e da criança extrovertidas e tagarela que eu era (tão tagarela que inventou 12 amigos imaginários para conversar). Sinto falta de chegar na escola e o maior luxo e ostentação era ter 2 reais para comprar balas, e a minha única preocupação era se eu ia chegar em casa a tempo de assistir meu desenho favorito. Eu sinto falta das coisas serem mais simples.
Pessoas mais velhas que eu, me digam que eu não vou ser a única e nem fui a única a passar por isso.
submitted by G_a_b_z to desabafos [link] [comments]


2020.11.24 13:26 SopaDeMolhoShoyu Relembrar é viver! Por isso, vou postar aqui a história de um clássico da Internet brasileira, a lenda de Leonam e seu Dreamcast!

Seguinte...vou fazer a defesa do meu mestrado hoje à tarde, e tô me cagando de medo. Por isso, tô procurando atividades para me distrair...como, por exemplo, ler a incrível história do rapaz que gozou em seu Dreamcast. Li essa história pela primeira vez no longíquo 2003, em um off topic da Seventh Page, um antigo fórum do Iron Maiden, e fiquei uma semana inteira rindo dessa merda. Ainda hoje, leio esse tão emocionante texto, que se tornou um clássico da Internetcha, e dou muita risada da situação pela qual o nosso amigo Leonam passou.
QUEBREI MEU DREAMCAST - PARTE 1
"Quebrei meu dreamcast de bobeira, meu nome é Leonan tenho 13 anos,parece brincadeira mas é a pura verdade, tudo começou quando estava jogando Craxy Taxi pirata passou um tempo fui trocar o cd então desliguei o dreamcast tirei o crazy taxi e deixei a tampa aberta(meu erro) para colocar o cd de boot, mas aí o pessoal de casa resolveu sair então fiquei sozinho em casa, pintou aquela vontade de tocar sonfona, o meu dreamcast fica na mesma mesa do computador, então liguei o micro acessei uma página (que vi neste forum...) e to lá, em frente ao micro vcs sabem né...então chegou aquela pressão não pude segurar mas como eu tava na frente do computador para não sujar o monitor e o teclado meu reflexo foi de virar para a esquerda justamente onde tava meu dreamcast com a tampa aberta(**** falta de sorte)...isso mesmo galera ...EJACULEI NO MEU DREAMCAST... riam deste cara sem sorte,não sei se rio ou choro, a lente sujou toda, limpei o quanto pude mas em cima da lente a gosma secou Agora o que é que eu faço? fiz de tudo para ganhar este dreamcast não tem um mês direito e já estragou minha mãe vai me matar quando descobrir que ela pagou 750 reias e eu já quebrei, tá na garantia ainda mas o que eu falo pro cara da loja? Como faço para limpar a lente agora? me ajudem por favor ! Nunca mais me masturbo na minha vida!"
QUEBREI MEU DREAMCAST - PARTE 2
Recapitulando : Depois de acidentalmente gozar em cima da lente de seu dreamcast não conseguir limpá-la , nosso amiguinho punheteiro volta de escola decidido a novamente tentar ligar para a tectoy(representante da sega no Brasil) para tentar saber se seu dreamcast ainda tem salvação ... "Cheguei em casa depois da escola hoje de manhã...vim correndo quando abri a porta até ofegante..adivinhem com quem encontro de cara "MINHA MÃE"(parece um general) com meu dreamcast no colo sentada no sofá da sala me esperando com cara de querer me matar...gelei do pé até a cabeça na hora,então a 1ª COISA QUE DISSE FOI: LEONAM...O QUE FOI QUE VOCÊ DERRAMOU NESTE VIDEOGAME? quase cai pra trás Aí eu perguntei...POR QUE MÃE... ELA DISSE GRITANDO: POR QUE EU LEVEI O VIDEOGAME NA LOCADORA ONDE EU COMPREI E O VENDEDOR ABRIU ! TINHA MANCHA DE ALGUMA COISA LÁ DENTRO...VAI FALANDO AGORA...(SUEI FRIO ATÉ GAGUEJEI), VOCÊ DERRAMOU CAFÉ COM LEITE NESTE VIDEOGAME LEONAM? NÃO ACREDITO QUE TE DOU UM BRINQUEDO CARO DESTES E VOCÊ JÁ QUEBROU! Aí eu falei NÃO DERRAMEI NADA AÍ NÃO, então ela falou: QUE CHEIRO DE QUEIJO É ESSE AQUI DENTRO!ALGUMA COISA VOCÊ DEIXOU CAIR AQUI? A GARANTIA NÃO COBRE ISSO SABIA LEONAM...(sabem como é tremer as pernas pois é tô assim até agora)Corri e me tranquei no quarto tô aqui até agora, com uma **** fome, peguei o telefone e liguei pra tectoy, antes de falar com o cara prometi que não era um trote até jurei, VOCÊS ACREDITAM QUE O CARA DO ATENDIMENTO RIU DE MIN! PARECE INGRAÇADO MAS EU TÔ NO SAL! VÔ LEVAR A MAIOR COSSA! A PROPOSITO ELE DISSE PARA NÃO RASPAR A LENTE E LEVAR MEU DREAMCAST NA ASSISTENCIA TÉCNICA, E FALAR A VERDADE PRO CARA DA ASSITENCIA PRA ELE NÃO MEXER ONDE DEVE, MAS COMO EU CONTO AQUILO NO BALCÃO(algo como...ô moço gozei no meu dreamcast!) Acho que minha mãe já sacou,o que eu faço? Claro que ela sabe que cheiro é aquele...toda terça e quinta ela e meu pai mandam ver a noite toda! Ela só quer que eu fale para poder ter um motivo para quebrar minha cara! Eu acho que vou contar pro meu pai...se eu tivesse irmão menor eu colocava a culpa nele mas não tenho...fazer o que? tô ficando maluco! MINHA ULTIMA CHANCE SÃO VOCÊS...OU EU MESMO LIMPO A LENTE COM ALCOL OU AGUA OU MINHA MÃE VAI ACABAR COMIGO! ME AJUDEM AMIGOS COMO TIRAR ESPERMA DA LENTE SEM ESTRAGAR MEU DREMCAST?" E agora , o que irá acontecer ? Conseguirá nosso amiguinho punheteiro salvar-se dessa situação constrangedora ? Sua mãe já está desconfiada, é uma corrida contra o tempo !
QUEBREI MEU DREAMCAST - PARTE 3
Recapitulando : após estragar e lente de leitura do seu dreamcast com seu esperma , nosso herói leonam falhou duas vezes em conseguir socorro no telefone de ajuda da tectoy , mais tarde sua mãe descobriu que o filho estragara o DC , e é possível que ela já desconfie de de que líquido é aquele no Dreamcast ... o que será do herói punheteiro ? Ao pedir amparo e vários fóruns , Leonam consegue ajuda de dois seres , Erik e Francisco . porém , ao entrar no quarto ... "Olha Erik e Francisco obrigado por estarem me ajudando isto tudo é verdade eu juro! Tenho uma coisa a dizer... primeiramente já que estão sendo gente boa comigo, Quebrei minha promessa, é mais forte que eu, parece vicio, toquei uma hoje enquanto tava trancado dentro do quarto...desculpem....desta vez mirei direto e não acertei nada! pelo menos isso! Nando já que você não pode ajudar não piore as coisas tente fazer você [quanto mais idiota melhor 3] ou [ejaculacao precose o retorno],até parece que você nunca passou aperto por causa da "pomba branca"... e Francisco lopez o cara da TECTOY disse para min que para limpar lentes existe um CD LIMPADOR aqui em casa tem, sabe...aquele que tem uma músicas em várias linguas com uma micro escovinha...enquanto se ouve a música ele limpa a lente... mas o problema é o seguinte o CD LIMPADOR limpa só poeira, sujeiras leves, não "gosmas" que já secaram! Eu tentei passar mas não deu , o console tá seguinho não lê nada ! Lestat não tentei comer meu dreamcast e tambem não comecei a gozar agora não já é a 5ª vez é o que isso tem a ver? Francisco prefiro não dizer o bairro onde moro por que as coisas podem piorar, tem um cara até querendo colocar isto tudo em uma página imagina se descobrem onde eu moro...vou sofrer pro resto da vida! (nunca pensei que uma punheta fosse acabar comigo!), contei isso que tá acontecendo comigo pros meus colegas e na minha classe já me colocaram até apelido "GONZAGUINHA" sabem por que né!?...aquele sanfoneiro! Quem poder me ajudar, respondam esta mensagem neste forum, eu agradeço, e quanto a minha mãe para vocês terem idéia eu tenho de apagar o histórico do meu computador por que ela checa tudo, já pensou se ela entra neste site e descobre tudo? que vergonha e que cossa que eu vou tomar...vocês podem até me achar infantil mas só tenho 13 anos tô descobrindo as coisas agora! É errando que se aprende, vocês acham que ia fazer isso logo no meu dreamcast !Ajuda é só isso que tô precisando." E agora , só falta uma parte e Leonam ainda não conseguiu resolver seu problema com o dreamcast ! Conseguirá ele consertar se dreamcast e fazer com que sua mãe não descubra toda a verdade ? Pior ainda , conseguirá ele se conter e parar de bater punheta , prevenindo que estrague ainda mais seu dreamcast ou otra coisa de seu quarto ?
QUEBREI MEU DREAMCAST - PARTE 4
Sem mais rodeio, devaneios e reacapitulações, assistam agora ao final da mini-série "QUEBREI O MEU DREAMCAST" protagonizada pelo galã do momento(o primeiro galã da história que é reconhecido como punheteiro!) , Leonam ! "Galera finalmente meu terror chegou ao fim...graças a Deus...não apanhei mas foi muito mais pior eu juro!Passei pela situação mais embaraçante da minha vida Como eu tava vendo que o trem ia ficar pro meu lado... abri o jogo com o meu pai...foi assim depois que cheguei da escola chamei meu pai no quarto encostei a porta e contei tudo(minha cara rachou de tanta vergonha...)falei "PAI PELO AMOR DE DEUS, O SENHOR JURA QUE SE EU TE CONTAR UMA COISA O SENHOR NÃO CONTA PRA MAIS NINGUEM" ele concordou...(eu acreditei...)então fechei os olhos e contei:PAI FOI EU QUE QUEBREI O VIDEOGAME MAS FOI SEM QUERER, EU ESPORREI NELE! Ele riu, riu de chorar, aí eu falei: FOI SEM QUERER TÔ MORRENDO DE VERGONHA MAS FOI ISSO QUE ACONTECEU, até aí tudo bem, ele disse que ia dar um jeito de concertar,me deu uma bronca por ter acessado o site XXX,nunca mais entro em site de sexo eu prometo !, voltamos para mesa almoçamos e eu tava já até um pouco ali*****...vocês sabem pai sempre da um jeito em tudo,MAS NÃO PENSEI QUE ELE FOSSE FAZER DESTE JEITO! SABEM O QUE ELE FEZ...CONTOU PRA MINHA MÃE...eu tava lá no quarto deitado na cama jogando meu gameboy(STREET FIGHTER2 ADORO !) quando entra minha mãe COM UM SORRIZINHO SACANA de mão dada com meu pai então ela disse: LEO EU E SEU PAI PRECISAMOS CONVERSAR COM VOCÊ(acho que minha alma saiu do corpo naquela hora,tô sem jeito de olhar para minha mãe até agora!),AÍ COMEÇOU A SEÇÃO DE EDUCAÇÃO SEXUAL... (olha que palhaçada): VOCÊ LEO AGORA TÁ VIRANDO RAPAZINHO(minhas orelhas ficaram pegando fogo de vergonha) TÁ DEIXANDO DE SER CRIANÇA...SEU CORPO AGORA VAI COMEÇAR TER MUDANÇAS SUA VOZ JÁ TÁ COMEÇANDO A MUDAR,VÃO CRESCER PELOS NO SEU CORPO(eu só olhei pra cara do meu pai) SABE LEO VOCÊ TÁ VIRANDO UM ADOLESCENTE(como eu não soubesse na escola já passaram aquela fita dos coelhos TICO E TICA sabem aquela baboseira dois coelhos mongoloides que crescem e transam na maior pureza..."olha a TICA tá crescendo seios e menstrua" "olha o TICO tá ficando com a voz grossa e com pêlos por todo o corpo... ô meu Deus o que é aquilo que o TICO está fazendo professora pergunta TICA ele está se MASTURBANDO TINA...mas o que é masturbação...e por aí vai...") Minha mãe ainda disse: QUANDO DER VONTADE DE FAZER AQUILO...VAI NO BANHEIRO FILHO ASSIM VOCÊ NÃO CORRE O RISCO DE SUJAR COISAS QUE NÃO DEVE,(minha vontade era de explodir),DEPOIS QUE VOCÊ FAZER AQUILO LAVE AS MÃOS PARA NÃO SUJAR AS COISAS DE ESPERMA(vocês podem imaginar como estou agora ) o pior ainda está por vir... Vocês não acreditam o que minha mãe fez: ...LIGOU PARA TODAS MINHAS TIAS(6) E CONTOU QUE JÁ ME MASTURBO(meu DEUS o que ela queria com isso?)ATÉ PARA MINHA VÓ QUE MORA NO RIO ELA LIGOU,CONTOU ATÉ PRA MOÇA QUE TRABALHA AQUI EM CASA(que é gatinha!)....(agora mais ou menos as 16:45 minha vó me ligou para me encher dizendo que isso é feio pra min parar de fazer isto ESTOU SEM MORAL COM MINHA FAMILIA, minha mãe me expos ao ridiculo! Minhas tias do jeito que são já devem ter contado pros meus primos...tô ferrado, CONCLUSÃO DESSE ROLO: MEU PAI DEPOIS DO SERVIÇO PASSOU NA LOCADORA E DEIXOU MEU DREAMCAST PARA CONCERTO,MAS OLHEM QUE ABSURDO, O CARA DISSE QUE A LENTE JÁ ERA E UMA NOVA ADVINHEM QUANTO CUSTA...450 REIAS SEM A MÃO DE OBRA DO LADRÃO DO TÉCNICO(mas ele deixou para concertar acho que é para não me desapontar,vou dar a idéia de comprar um console Japonês acho que tá nesse preço..é bem melhor né?),MAS MESMO ASSIM ME PASSOU UM SABÃO PARA TER MAIS CUIDADO QUANDO FOR FAZER AQUILO(eu tô com complexo de masturbação... toda hora que pinta vontade...fico na maior paranoia de estragar alguma coisa de sujar alguma coisa...acho que isso marcou minha vida pra sempre!)" PARA TODAS AS PESSOAS DESTE FORUM QUE TENTARAM ME AJUDAR "OBRIGADO" NÃO SE MASTURBEM PERTO DE VIDEOGAME PODE QUEBRAR (isto tinha que vir no manual do aparelho) Valeu amigos!" E assim termina a saga ... É só !
submitted by SopaDeMolhoShoyu to brasil [link] [comments]


2020.11.24 07:37 Jotinhra Estágios/ERASMUS/Extracurriculares para o CV

Boas, tenho algumas dúvidas sobre o meu curso, não tenho a certeza se as devo postar aqui, se por acaso estiver errado, idk avisem-me or something, nunca fui muito de postar no reddit.
Algum background: Estou no 11º a tirar Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos, também participo no clube de robótica, e a uns dias tive uma conversa com um colega sobre atividades extracurriculares, sobre o ERASMUS e tudo o que fazemos durante os 3 anos do curso que vai para o nosso CV. A razão da conversa foi de que, eu "perdia tempo" em participar em tantas atividades que no final do dia não iriam mudar o facto de eu ter emprego ou não. A minha dúvida é, para quem está ou esteve na mesma área, rendeu no sentido de ter no CV que participaram em x? *Vale a pena dizer que, independentemente da resposta, eu vou continuar a participar nestas atividades, pois, acho que é importante eu adquirir o máximo de conhecimento que consigo enquanto ainda estou na escola, para não falar de que posso não ter mais opurtunidades como essas. A maior razão deste post é mais para saber quem está certo e, talvéz, convencer o meu colega a participar também. TL;DR; Vale a pena participar em extracurriculares para as ter no CV? Obrigado!
submitted by Jotinhra to portugal [link] [comments]


2020.11.22 04:19 higor1000 Eu não gosto de amizade!

É isso, eu não gosto de amizade. Parece louco imaginar, mas é da minha natureza, desde criança nunca gostei de amigo.
Tive alguns colegas na escola, mas era apenas na escola, saindo de lá eu não queria ver a cara de ninguém.
Meu maior ódio foi de um menino q pegou meu telefone com alguém e ligou na minha casa, fiquei puto com ele.
Hj com 25 anos eu sigo do mesmo jeito, vejo as pessoas rodeadas de amigos e falando da importância dessa relação, mas não é algo q me atrai.
Só queria dividir essa minha loucura com vcs! Vlw!
submitted by higor1000 to desabafos [link] [comments]


2020.11.21 19:42 TheAshba Decisões que me fizeram ser "Vitorioso aos 21 anos"

Vou contar um pouco sobre a minha vida, hoje eu estou meio sensível e quero desabafar...
Minha família sempre foi humilde e simples (Mãe, padrasto e irmão), nunca faltou comida em casa, tive privilégios como vídeo game e computador graças a pensão que meu Pai mandava. Morei a minha vida toda em um bairro simples e humilde da zona sul de SP, vivíamos bem com 3 salários mínimos e casa própria.
Quando eu estava no 2º ano de ensino médio me vi perdidamente apaixonado por uma garota chamada "S", éramos da mesma classe fazia 2 anos e eu a amava do fundo da alma, todo dia nós nos víamos na escola e conversávamos, ela sabia que eu amava ela porque eu já tinha contado, mas ela dizia não ter esse sentimento reciproco, ela gostava de min como um irmão (na época os meus amigos nomeavam de friendzone), eu aguentei por um tempo mas chegou um dia que não deu, explodi e coloquei tudo que sentia para fora e desabei em minhas lagrimas, ela disse não pela ultima vez. Foi ai que eu decidi que ia mudar tudo na minha vida e esquece-la!
A primeira coisa que eu fiz foi mudar de escola na metade do 2º ano, fui para uma escola melhor e bem classificada no ranking de escolas publicas da zona sul de São Paulo. Dentro da sala de aula eu sempre fui o cara que tirava 5, 6 e 7 nas provas e avaliações, e isso me mantinha aprovado na escola antiga, porem na escola nova a média era 7, tive que me adaptar e foi bem difícil, passei a estudar de verdade e conseguir passar para o 3º ano.
No final do 2º ano eu percebi que já tinha superado meu amor não correspondido, mas ainda lembrava dela com frequência, até a encontrei no ônibus algumas vezes, meu coração pulava dentro do peito quando isso acontecia.
O 3º ano foi o melhor de todos, amigos legais, garotas bonitas, passeios de classe, idas ao Ibirapuera depois da aula, tudo perfeito a não ser meu problema com minha identidade visual.. Fui muito inseguro com minha aparência e sempre me achei feio, não tinha coragem de chegar nas garotas e só flertava quando alguma garota dava em cima, fracassado né.
Mas foi no final do 3º ano que minha vida ia começar a mudar, um amigo me disse que já ia começar a procurar emprego caso não entra-se na faculdade por vestibular, e eu fui fazer a mesma coisa porque a situação em casa estava ficando difícil, meu padrasto estava desempregado e minha mãe fazendo festa de criança, não estava fácil sustentar eu e meu irmão. Nesse procura por emprego no vagas.com , encontrei um curso de administração grátis dado pelo Instituto ProA e foi ai que tudo começou!
Inicio de 2017 iniciei esse curso de administração "Preparatório para o mercado de trabalho", a melhor experiência da minha vida, 4 anos de conteúdo em 6 meses de curso, eu e meus colegas de curso estávamos em êxtase, o curso não era fácil e era muito criterioso, mas eu consegui passar e no final ainda consegui uma indicação para o mercado de trabalho. UMA VAGA DE APRENDIZ EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EM UM BANCO MULTINACIONAL SUIÇO, parece até piada o garota humilde da quebrada conseguir isso aos 18 anos, nesse banco eu já ganhava salario de mil reais, vale refeição e transporte, convênio e os caralho.
Paralelo ao emprego de jovem aprendiz eu estava estudando para fazer o ENEM, estudava 2 horas por dia durante a semana já que trabalhava apenas 6 horas, fiz outros cursos grátis também no Instituto IOS e fazia INGLES pagando com meu salario. Fiz a prova do ENEM no final de 2017 e consegui uma bolsa de 100% para cursar Redes de Computadores na UNINOVE, o primeiro da família a entrar em uma faculdade, minha mãe chorou tanto...
Na metade de 2018 meu contrato de estagio acabou e eu não conseguir efetivação por falta de vaga, minha mãe foi embora com meu padrasto e irmão para o interior de São Paulo e me deixaram cuidando da casa, queriam criar o pequeno em uma cidade calma e com ar limpo. Um amigo de precisava de um lugar para morar, porque a mãe e o padrasto também estavam indo embora só que para o Japão kk, chamei ele para morar comigo e dividir os custos da vida. Graças a ele ter vindo morar comigo eu conheci uma garota que acabou virando minha namorada, ficamos juntos por 2 anos, terminamos faz 21 dias, estou bem sem ela e quero que ela seja feliz.
No começo de 2019 consegui um estagio em TI, fiquei lá por 8 meses e sai porque consegui um outro estagio que pagava bem mais e eu iria aprender em dobro também, assim 2019 se resumiu a trabalhar e estudar.
E por fim, agora no final de 2020 vou concluir meu curso da faculdade e meu estagio ao mesmo tempo, vou ser efetivado ganhando quase 4 mil reais com todo tipo de beneficio possível aos 21 anos, sem nada para me preocupar a não ser trabalhar e cuidar da minha vida.
Me considero um cara sortudo que por algum motivo o destino sorriu pra min e me deu tanta experiência, conhecimentos, amigos e oportunidades. Só que não sei porque eu, só sei que vou aproveitar tudo isso e continuar sendo humilde e ajudando as pessoas da forma que me ajudaram!
Uma mudança radical na sua vida pode fazer as coisas melhorarem, não hesite, eu tive medo e é normal ter medo, você só não pode hesitar porque isso vai limitar as oportunidades que podem aparecer pra você, então da a cara pro mundo, mude, passe vergonha, trabalhe bastante e não se acomode..
Obrigado por tirar seu tempo para ler minha história 😊
submitted by TheAshba to desabafos [link] [comments]


2020.11.20 18:40 nyan_kath Cansei de ser a mina exemplo

(o formato tá horrível porque acabei de digitar isso na pressa no celular) Eu não sei bem como descrever mas desde que entrei na escola virei a aluna modelo, minhas notas desde o fundamental I eram boas e com o passar do fundamental II elas só melhoraram.
Todo mundo me chama de nerd e o karalha4 mas eu não escolhi ser assim, eu não acordei um belo dia e pensei “nossa que vontade de jogar minhas ambições fora pra perseguir um histórico escolar perfeito”. E não acho que sou um exemplo que devia ser seguido.
Mais de uma vez minha escola me chamou NO AUDITÓRIO, NA FRENTE DE TODO MUNDO. Para “””parabenizar””” minhas notas boas, eu demonstrei estar desconfortável e não querer ficar ali, só que INSISTIRAM nisso, e em tirar foto também. Minha nota em uma avaliação padronizada de uma rede de ensino particular não devia ser celebrada e algo para ser almejado por outros alunos. Eu espero que ninguém nunca seja que nem eu, e que todo o resto dos meus colegas tenham a oportunidade de aproveitar o dia deles como eles quiserem, sem a puta pressão de ter que ser perfeccionista o tempo todo.
Dito isso, a parte de estudar não me incomoda. Oq realmente me deixa puta é ter que decorar umas informação realmente inútil só pra por na prova. Por exemplo, é muito mais importante você ter uma noção básica do que é a União Europeia, pra que ela serve, como ela funciona do que ter que lembrar O NOME DE CADA PAÍS QUE PARTICIPA. Além do que saber sobre a União Europeia iria ser útil em alguns contextos específicos, não mundialmente útil. Acho o sistema de ensino mundial uma piada por isso, os métodos que usam não funcionam com todos e muitos dos meus amigos foram taxados como “burros” por não conseguirem entender.
Durante a pandemia foi a primeira vez que eu colei na vida, nunca me senti tão hipocrita assim. O professor tava lá aplicando prova no zoom e eu tava com a apostila aberta do meu lado escrevendo as respostas no caderno. Lembrei de todas as vezes que recusei passar ou receber cola por não estar dentro do meu compasso moral e me senti uma droga, tentei achar qualquer desculpa pra colar mas eu sabia que tava errada. No fim das contas eu continuei estudando o mesmo tanto, ficando ainda mais nervosa e tendo as mesmas notas.
Só queria que me deixassem em paz pela nota que eu tiro ou que eu não tiro, porque isso tudo é problema meu. Muito obrigada por ler até aqui, se quiser tem um chazinho ali perto da saída.
submitted by nyan_kath to desabafos [link] [comments]


2020.11.20 15:15 BlindEyeBill724 Praeambula Fidei, artigo do Prof.Edward Feser

Praeambula Fidei, artigo do Prof.Edward Feser


Segue a tradução do artigo do Prof.Edward Feser em torno do Praeambula Fidei (por que isso é importante à apologética cristã, ver o post introdutório deste subrredit¹), encontrado originalmente em → http://edwardfeser.blogspot.com/2012/01/point-of-contact.html, com alguns outras traduções contextuais para que o leitor tenha acesso facilitado. Também realizarei alguns comentários quando julgar pertinente, espero que aproveitem algo (os comentários seram precedidos de CT, comentário do tradutor).
PONTO DE CONTATO
Bruce Charlton identifica seis problemas para os apologistas cristãos modernos² e propõe uma solução. Suas observações são todas interessantes, mas eu quero me concentrar no primeiro e mais fundamental dos problemas que ele identifica, que é que o conhecimento metafísico e moral que mesmo os pagãos tinham no mundo antigo não pode mais ser tomado por certo:
O cristianismo é um salto muito maior da modernidade secular do que do paganismo. O cristianismo parecia a conclusão do paganismo - um ou dois passos adiante na mesma direção e construindo sobre o que já estava lá (na cosmovisão clássica, CT): as almas e sua sobrevivência além da morte, a natureza intrínseca do pecado, as atividades de poderes invisíveis e assim por diante. Com os modernos, não há nada sobre o que construir (exceto talvez memórias de infância ou realidades alternativas vislumbradas através da arte e da literatura).
Desse problema seguem-se muitos outros, continua Bruce:
O Cristianismo moderno, conforme experimentado pelos convertidos, tende a ser incompleto - precisamente porque o Cristianismo moderno não tem nada sobre o que construir. Isso significa que o Cristianismo incompleto moderno carece de poder explicativo, parece ter pouco ou nada a dizer sobre o que parecem ser os principais problemas da vida. Por exemplo, o Cristianismo moderno parece não ter nada a ver com política, direito, arte, filosofia ou ciência; habitar um reino minúsculo e cada vez menor, isolado das preocupações diárias. O cristianismo moderno frequentemente exclui milagres; pecado original; o nascimento virginal, a encarnação e a natureza dual de Cristo; A morte, ressurreição e expiação de Cristo; a Santa Trindade; anjos, demônios e guerra espiritual invisível e assim por diante - mas sem esses e outros elementos, o cristianismo não se mantém unido nem satisfaz o anseio humano.
E
O Cristianismo moderno muitas vezes parece superficial - parece confiar demais no ditame das Escrituras e da Igreja - isso porque os modernos carecem de uma base nas percepções espontâneas da Lei Natural, do animismo, do senso de poder sobrenatural ativo na vida cotidiana. O Cristianismo moderno (após a primeira onda de experiência de conversão), portanto, parece seco, abstrato, legalista, proibitivo, não envolvente, sem propósito.
Como se costuma dizer, leia tudo. Acredito que haja muita verdade no que Bruce tem a dizer. Para ter certeza, nem por um momento penso (e presumo que Bruce não pense) que o Cristianismo realmente é "superficial", "incompleto", "seco", "sem propósito", desprovido de “Poder explicativo”, com “nada para construir” por meio de um terreno comum com a modernidade secular, etc. Muito pelo contrário. Mas concordo que pode parecer assim para muitas pessoas modernas. (Parecia mais ou menos assim para mim em meus dias ateus, antes de descobrir o que o Cristianismo, e em particular o Catolicismo, realmente disse - isto é, o que seus maiores representantes realmente sustentaram historicamente, em contraste com as distorções do cristianismo, seja liberal ou fundamentalista, que o substituiu em grande parte da opinião pública.)
O problema, em parte, é de circunstâncias históricas e culturais. Veja um exemplo simples, a descrição cristã de Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Para as pessoas modernas, esse tipo de conversa pode soar insuportavelmente piegas; na verdade, às vezes acho isso insuportavelmente piegas, a menos que o contexto seja capaz de neutralizar as terríveis associações culturais que passaram a cercá-lo. Portanto, se estou ouvindo uma referência a Jesus como Senhor ou Salvador no contexto da Missa (seja a forma extraordinária ou a forma ordinária celebrada de forma digna), isso não me incomoda de forma alguma; mas se o ouço proferido por um televangelista, sinto (talvez como um Dawkins ou um Hitchens sentiriam) uma necessidade irresistível de mudar de canal.
Pense, porém, nas associações que uma palavra como “Senhor” teria para alguém no mundo antigo ou medieval - faria lembrar um imperador ou um aristocrata. Pense no que "Salvador" significaria em um contexto cultural onde antigas comunidades locais estavam sendo engolidas por impérios implacáveis ​​e aparentemente invencíveis, e onde sistemas morais rigoristas como o estoicismo e o neoplatonismo competiam pela lealdade da intelligentsia - isto é, digamos, onde as pessoas tiveram uma sensação contínua de estarem em perigo físico real e de fracasso moral pessoal contínuo. Uma descrição de Jesus de Nazaré como "Senhor" e "Salvador" teria o reverso das conotações sentimentais e efeminadas que os secularistas ouvem agora - pode trazer à mente um Constantino severo cavalgando para o resgate a cavalo, digamos, em vez de um Mister Rogers com cabelo comprido e sandálias, pronto com um sorriso e um Band Aid para nossa estupidez espiritual.
Combine a política igualitária, a moral fácil e a riqueza relativa e a estabilidade social das últimas décadas, e poucas pessoas no mundo secular moderno estão procurando por um Senhor ou Salvador no sentido que os antigos e medievais teriam entendido. Adicione a isso o fato de que "Jesus é o Senhor!" tornou-se a expressão de uma religiosidade emocional e terapêutica veiculada por meio de camisetas, adesivos de para-choque e música ruim produzidos em massa, e toda a ideia é destinada ao secularista moderno a parecer ininteligível e repulsivamente cafona. (Raspe um Novo Ateu e você frequentemente descobrirá que este é o tipo de coisa contra a qual ele está reagindo, e tudo o que ele conhece do Cristianismo.)
Então, isso é parte do problema. Mas isso pode ser remediado se os proponentes de uma forma de cristianismo muscular e intelectualmente rigorosa - ou seja, do cristianismo simpliciter, como existiu historicamente - redescobrirem sua herança ancestral. Com isso, eles redescobrirão também a herança do mundo pagão e encontrarão nela os recursos para se comunicarem com o homem moderno, na verdade com qualquer homem. Os aristotélicos e os neoplatônicos sabiam que Deus existe, sabiam que o homem não é uma criatura puramente material, sabiam que o bom e o mau são características objetivas do mundo e que a razão nos direciona a buscar o bem. Eles sabiam dessas coisas através de argumentos filosóficos que não perderam nada de sua força, argumentos que foram recolhidos e refinados por pensadores cristãos e que informaram a grande tradição escolástica.
Como o Papa Leão XIII expressou belamente em Aeterni Patris, os tesouros intelectuais dos pagãos são como os vasos de ouro e prata que os israelitas tiraram do Egito, prontos para serem empregados a serviço da verdadeira religião. Assim, a Escolástica, cujo renascimento esta encíclica promoveu, felizmente, adotou tudo o que era de valor no pensamento de gregos e romanos, judeus e árabes. Com filosofia como com arte, literatura e arquitetura, se você quiser aprender o que os maiores não-cristãos têm a oferecer, venha para a Igreja, que o absorve e protege - honrando nossa natureza divinamente dada e seus produtos, mesmo enquanto ela cria eles mais elevados pela graça. Ela lembra ao homem o que ele já sabe, ou pode saber, por meio de seus próprios poderes, antes de revelar a ele verdades que ele não poderia chegar por conta própria. Ela fala com ele em sua própria língua - a linguagem da teologia natural e da lei natural, que são, em princípio, acessíveis a todos, e não têm prazo de validade. Até os secularistas modernos conhecem essa linguagem, pois não são menos humanos do que seus ancestrais pagãos. O problema é que eles falam isso apenas no nível de escola primária ou mesmo no jardim de infância, enquanto o maior dos antigos pelo menos tinha proficiência relativa ao ensino médio. Mas, por meio da educação, eles, como os antigos pagãos, podem ser preparados para o trabalho de pós-graduação proporcionado pela revelação divina.
Esta é, obviamente, a ideia do que Tomás de Aquino chamou de praeambula fidei - os preâmbulos da fé, pelos quais a filosofia abre a porta para a revelação (onde a fé e a revelação, tenha em mente, corretamente entendidas, não são de forma alguma contrária à razão, mas um desenvolvimento - expliquei como na primeira metade de um post anterior³). Mas isso nos leva a outro problema. Como o fariseu que despreza a piedade e virtude sincera do samaritano, alguns cristãos desprezam a teologia natural e a lei natural como ímpias ou pelo menos questionáveis. Eles desprezam a natureza humana e, com ela, qualquer compreensão não-cristã de Deus e da moralidade, como algo totalmente corrupto e sem valor; ou eles estão dispostos, pelo menos verbalmente, a afirmar essa natureza, mas apenas se ela for efetivamente absorvida na ordem da graça, como o monofisista que está disposto a reconhecer a natureza humana de Cristo apenas se primeiro ela for completamente divinizada. Na primeira tendência, somente a fé e as Escrituras devem ser suficientes para trazer alguém ao Cristianismo, os preâmbulos que se danem. Sobre este último, a natureza humana é concebida de uma forma que (para tomar emprestado uma frase do Papa Pio XII) ameaça "destruir a gratuidade da ordem sobrenatural" ao elevar o natural ao sobrenatural, tratando de fato a teologia natural e a lei natural como se apenas o cristão pudesse entendê-los corretamente. Em ambos os casos, o cristianismo pode vir a parecer uma questão de mero diktat (como diz Bruce Charlton) - fideísta, inacessível e irrelevante para o mundo dos não crentes.
A primeira tendência, obviamente, está associada a Lutero e Calvino, embora seja justo reconhecer que há protestantes que resistiram a ela. Ao mesmo tempo, sua própria resistência é frequentemente resistida por seus correligionários, como é ilustrado por uma famosa disputa entre os teólogos protestantes do século 20 Emil Brunner e Karl Barth. Brunner argumentou que a teologia natural representa um "ponto de contato" entre a natureza humana e a revelação divina, pelo qual a primeira pode ser capaz de receber a última (embora mesmo Brunner qualifique sua noção de "teologia natural", para que não implique a certeza da existência de Deus apenas pela razão natural como é afirmado pelo catolicismo). Barth respondeu com raiva (em uma obra com o título conciso "Não!"), Rejeitando qualquer sugestão de que a natureza humana contribui com algo para o "encontro" entre Deus e o homem e argumentando que qualquer "ponto de contato" necessário foi ele próprio fornecido pela revelação, em vez do que a natureza humana. Isso é um pouco como dizer que a bola de bilhar A bate na bola de bilhar B ao atingir, não a superfície de B, mas uma superfície fornecida por A. Se for inteligível, isso apenas empurra o problema para trás: Como a superfície fornecida por A em si tem alguma eficácia vis-à-vis B? E como o “ponto de contato” fornecido pela própria revelação faz qualquer contato com a natureza humana?
Também é justo apontar que alguns pensadores católicos modernos têm opiniões que pelo menos flertam com a segunda tendência que descrevi acima - embora em parte sob a influência de Barth. Hans Urs von Balthasar procurou encontrar Barth no meio do caminho, rejeitando a concepção do estado natural do homem desenvolvida dentro da tradição tomista e central para a Neo-Escolástica promovida por Aeterni Patris de Leo (uma concepção que eu descrevi em um post recente sobre o pecado original). Nessa visão tradicional, o objetivo natural dos seres humanos é conhecer a Deus, mas apenas de uma forma limitada. O conhecimento íntimo e “face a face” da natureza divina que constitui a visão beatífica é algo a que não estamos destinados por natureza, mas é um dom inteiramente sobrenatural que se tornou disponível a nós somente por meio de Cristo. No lugar dessa doutrina, Balthasar colocou o ensino de seu colega proponente da Nouvelle Théologie Henri de Lubac, que sustentava que esse fim sobrenatural é algo para o qual somos ordenados pela natureza. Se é mesmo coerente afirmar que um dom sobrenatural pode ser nosso fim natural, e se o ensinamento de Lubac pode, em última análise, ser reconciliado com a doutrina católica tradicional da "gratuidade da ordem sobrenatural" reafirmada por Pio XII, há várias décadas tem sido assunto de feroz controvérsia. Mas a implicação aparente (mesmo que não intencional) da posição defendida por de Lubac e Balthasar é que não existe uma natureza humana inteligível à parte da graça e à parte da revelação cristã. E, nesse caso, é difícil ver como poderia haver uma teologia natural e uma lei natural inteligível para alguém ainda não convencido da verdade dessa revelação.
Relacionado a isso está a tendência de Etienne Gilson de tirar a ênfase do núcleo aristotélico do sistema de Tomás de Aquino e apresentá-lo como uma "filosofia cristã" distintiva. Como Ralph McInerny argumentou em Praeambula Fidei: Thomism and the God of the Philosophers, a posição de Gilson, como a de Lubac, ameaça minar a visão tradicional tomista de que a filosofia deve ser claramente distinguida da teologia e pode chegar ao conhecimento de Deus à parte da revelação. Essas visões, portanto, “involuntariamente [corroem] a noção de praeambula fidei” e “nos conduzem por caminhos que terminam em algo semelhante ao fideísmo” (p. Ix).
O livro de McInerny, junto com outras obras recentes como O Desejo Natural de Ver Deus de Lawrence Feingold de acordo com São Tomás de Aquino e Seus Intérpretes e Natura Pura de Steven A. Long, marcam uma recuperação há muito esperada dentro do pensamento católico convencional de uma compreensão da natureza e graça que já foi moeda comum, e à parte da qual a possibilidade da teologia natural e da lei natural não pode ser adequadamente compreendida. Nem, eu diria, outras questões cruciais podem ser apropriadamente entendidas à parte dele (como o pecado original, como argumento na postagem vinculada acima). A confusão entre o natural e o sobrenatural também pode estar por trás de uma tendência em alguns escritos católicos contemporâneos de enfatizar exageradamente os aspectos distintamente teológicos de algumas questões morais. Por exemplo, uma exposição da moralidade sexual tradicional que apela principalmente ao Livro do Gênesis, a analogia do amor de Cristo pela Igreja ou a relação entre as Pessoas da Trindade pode parecer mais profunda do que um apelo (digamos) ao fim natural de nossas faculdades sexuais. Mas o resultado de tal ênfase teológica desequilibrada é que para o não crente, a moralidade católica pode (novamente para usar as palavras de Bruce Charlton) falsamente "parecer confiar somente no ditame da Escritura e da Igreja" e, portanto, apelar apenas para o relativamente "minúsculo e encolhido reino” daqueles dispostos a aceitar tal afirmações. Não conseguirá explicar adequadamente àqueles que ainda não aceitam os pressupostos bíblicos da "teologia do corpo" do Papa João Paulo II ou de uma "teologia da aliança da sexualidade humana", apesar de seus méritos, exatamente como o ensino católico é racionalmente fundamentado na natureza humana, em vez do comando divino ou eclesiástico arbitrário. A graça não substitui a natureza, mas a aperfeiçoa; e um relato que enfatiza fortemente o primeiro sobre o último está fadado a parecer infundado.
O próprio falecido percebeu isso, quer todos os seus expositores o façam ou não. Em Memória e Identidade, ele diz:
Se quisermos falar racionalmente sobre o bem e o mal, devemos retornar a Santo Tomás de Aquino, ou seja, à filosofia do ser [ou seja, à metafísica tradicional]. Com o método fenomenológico, por exemplo, podemos estudar experiências de moralidade, religião, ou simplesmente o que é ser humano, e tirar delas um enriquecimento significativo de nosso conhecimento. Porém, não devemos esquecer que todas essas análises pressupõem implicitamente a realidade do Ser Absoluto e também a realidade do ser humano, ou seja, ser uma criatura. Se não partirmos dessas pressuposições “realistas”, acabamos no vácuo. (p. 12)
E no capítulo V da Fides et Ratio ele advertiu:
“Há também sinais [hoje] de um ressurgimento do fideísmo, que não reconhece a importância do conhecimento racional e do discurso filosófico para a compreensão da fé, na verdade, para a própria possibilidade de crença em Deus. Um sintoma atualmente difundido dessa tendência fideística é um “biblicismo” que tende a fazer da leitura e exegese da Sagrada Escritura o único critério de verdade
Outros modos de fideísmo latente aparecem na escassa consideração concedida à teologia especulativa, e em desdém pela filosofia clássica da qual os termos da compreensão da fé e da formulação real do dogma foram extraídos. Meu venerado Predecessor, o Papa Pio XII, advertiu contra esse descaso com a tradição filosófica e contra o abandono da terminologia tradicional.”
E o Catecismo promulgado pelo Papa João Paulo II, citando Pio XII, afirmava que:
A razão humana é, estritamente falando, verdadeiramente capaz por seu próprio poder natural e luz de alcançar um conhecimento verdadeiro e certo do único Deus pessoal, que zela e controla o mundo por sua providência, e da lei natural escrita em nossos corações pelo Criador. (par. 37)
Há uma razão pela qual o primeiro Concílio Vaticano, embora insistindo que a revelação divina nos ensina coisas que não podem ser conhecidas apenas pela razão natural, também ensinou que:
A mesma Santa Mãe Igreja sustenta e ensina que Deus, a fonte e o fim de todas as coisas, pode ser conhecido com certeza a partir da consideração das coisas criadas, pelo poder natural da razão humana.
E
Não só a fé e a razão nunca podem estar em conflito uma com a outra, mas elas se apoiam mutuamente, pois por um lado a razão justa estabeleceu os fundamentos da fé e, iluminada por sua luz, desenvolve a ciência das coisas divinas ...
E
Se alguém disser que o único, verdadeiro Deus, nosso criador e Senhor, não pode ser conhecido com certeza das coisas que foram feitas, pela luz natural da razão humana: seja anátema.
E
Se alguém disser que a revelação divina não pode se tornar crível por sinais externos e que, portanto, os homens e as mulheres devem ser movidos à fé apenas pela experiência interna ou inspiração privada de cada um: que seja anátema.
E
Se alguém disser ... que os milagres nunca podem ser conhecidos com certeza, nem a origem divina da religião cristã pode ser provada deles: que seja anátema.
O objetivo de tais anátemas não é resolver por decreto a questão de se Deus existe ou se os milagres realmente ocorreram; obviamente, um cético ficará comovido, se for o caso, apenas por receber argumentos reais para essas afirmações, não pela mera insistência de que existem tais argumentos. Os anátemas são dirigidos ao cristão subjetivista e fideísta que rejeitaria a exigência do ateu de que a fé fosse dada uma defesa objetiva e racional e que, assim, faz do Cristianismo motivo de chacota. Pregar o cristianismo aos céticos sem primeiro definir o praeambula fidei, e depois reclamar quando eles não o aceitam, é como gritar em inglês com alguém que só fala chinês e, em seguida, descartá-lo como um tolo quando ele não o entende. Em ambos os casos, embora certamente haja um tolo na foto, não é o ouvinte.
________________________
¹- Em https://www.reddit.com/ApologeticaCrista/comments/jx3m63/uma_breve_introdu%C3%A7%C3%A3o_pessoal_%C3%A0_apolog%C3%A9tica_crist%C3%A3/
²- Os pontos de Bruce Charlton quais o Prof.Edward Feser se refere, e quais não cita em seu artigo são os seguintes:
  1. A ausência de judaísmo
O Cristianismo moderno tem que passar sem os séculos de tradição judaica desenvolvendo uma compreensão da natureza de Deus, os profetas e suas profecias, a vida devocional dos Salmos etc; mas os cristãos modernos têm que descobrir tudo isso do zero e por si próprios, e muitas vezes não conseguem.
  1. Confusão
A vida moderna é hedônica, distraída - frequentemente drogada. Consequentemente, as pessoas muitas vezes não sabem ao certo a natureza da vida. Além disso, nas últimas décadas, a cultura dominante tem sido ativamente contra o Bem. A arte moderna é anti-beleza, as filosofias modernas são anti-verdade, a moralidade moderna é uma inversão do Direito Natural. A propaganda (implícita e explícita) inculca que os ideais espontâneos dos humanos (religião nativa, diferenças sexuais, família, nação, lealdade, coragem) estão errados. Em suma, os modernos estão profundamente (deliberadamente) confusos sobre questões profundas. Portanto, os apologistas cristãos modernos têm que explicar a condição humana, a natureza básica da vida; antes de explicar como o cristianismo é a resposta.
  1. Inoculação anticristã
A cultura dominante agora se inocula especificamente contra o Cristianismo e os pré-requisitos do Cristianismo. Ele fornece argumentos prontos, fundamentados no hedonismo materialista moderno, para serem usados ​​contra todas as evidências ou etapas de argumentação que possam levar ao Cristianismo, se rigorosamente seguidas. A apologética cristã não pode avançar um passo sem eliciar esses slogans, e a impaciência moderna, a distração e um curto espaço de atenção fazem o resto. Que esses argumentos materialistas hedônicos sejam circulares, incoerentes e infundados é irrelevante na prática; porque eles efetivamente bloqueiam o desenvolvimento de uma metafísica alternativa da qual sua invalidade seria aparente.
3- http://edwardfeser.blogspot.com/2011/09/modern-biology-and-original-sin-part-ii.html
submitted by BlindEyeBill724 to ApologeticaCrista [link] [comments]


2020.11.19 22:50 joaohonesto Eu não sou uma boa pessoa, eu apenas finjo que sou para ser aceito socialmente

Tava pensando isso esses dias, e conclui algo horrível: eu não sou uma boa pessoa, eu só repito o que os outros dizem para ser aceito socialmente e não sofrer sanções sociais dos meus pares (colegas de trabalho, amigos, conhecidos da faculdade, etc).
Eu não faço parte de nenhuma minoria racial, étnica ou sexual. Todo mundo ao meu redor defende progressismo social, que racismo é errado, que ser homofóbico é errado. E eu concordo, falo a mesma coisa.
A questão é: eu só defendo essas coisas porque quem está ao meu redor fala isso também, e caso eu me posicionasse de forma contrária, seria punido rapidamente e perderia as coisas que eu tenho (meu emprego, meu grupo de amigos, minha esposa, etc).
Se eu me mudasse lá pro interiorzão e todos meus amigos, meu chefe e meus colegas de trabalho fossem homofóbicos e racistas, em 15 dias eu também estaria fazendo comentários machistas e sendo escroto para não sofrer sanções sociais lá. Se minha esposa fosse homofóbica e me achasse viadinho por defender os gays, eu com certeza iria fazer piada com gay só pra aumentar minhas chances de transar a noite.
Em outras palavras, o que eu quero dizer é que eu cheguei a conclusão que eu não sou um herói que luta contra o sistema. Eu sou um bunda-mole que só quer ter uma vida pessoal tranquila e tem medo de perder o que tem; para tanto, eu sigo o que todo mundo ao redor fala apenas para não ser punido ou perseguido.
Como eu vivo numa metrópole urbana e em ambientes de classe média-alta, eu sou progressista. Se eu morasse no interiorzão e meus conhecidos fossem racistas, eu também seria. Se eu vivesse na época do nazismo, entregaria meu vizinho judeu pra não correr risco de ser preso pelo regime e, depois, ainda ia ficar feliz da vida em receber uma medalha do Terceiro Reich por ter salvado os arianos da ameaça judaica. Se vivesse na época da escravidão, eu não iria ajudar um escravo a fugir pq teria medo de ser preso, e se aparecesse uma oportunidade pra eu ganhar dinheiro escrevendo um livro defendendo a moralidade da escravidão, eu escreveria.
Eu percebi que já faço isso o tempo todo.
Quando visito meu avô, eu dou risada e acho graça qdo ele fala alguma coisa inapropriada ou racista. Se eu ouvisse a mesma coisa no meu círculo social usual, eu ficaria horrorizado e reclamaria em voz alta.
Quando eu encontro uns amigos antigos da época de escola e eles ficam falando merda machista, eu entro no assunto e invento umas coisas que eu não fiz só pra não ser excluído do grupo; falo que fui no puteiro (nunca fui), que vi a foto da bunda da menina X (nem sei quem é), etc. Mas eu nunca falaria isso no meu círculo social normal.
Quando estou na faculdade, eu defendo coisas ultra-progressistas que eu não concordo de verdade (como linguagem inclusiva usando o "X") e falo que voto no PSOL e no PT. Quando estou com meus pais, eu digo que votei no Meirelles. Na casa dos meus avós, no Bolsonaro. Pra minha esposa, na Marina Silva (ela adora meio ambiente). Mas a verdade é que eu nem votei, eu anulei tudo pq não sabia em quem votar.
Em casa eu sou super ecológico, uso coisa reciclável, quando aparece notícia na TV sobre a amazônia e o pantanal eu falo "Nossa, que absurdo, esse governo né", pq minha esposa gosta disso. Meu emprego é impactado por proteção ambiental e lá ninguém é eco-friendly, então lá eu tbem falo que td isso é bobagem, que os hippies ficam abraçando árvore e atrapalhando a gente ganhar dinheiro, etc.
No final das contas, eu não me importo de verdade com nada dessas coisas (política, racismo, religião, sexualidade). Só qro ter meu emprego lá, voltar pra casa cedo, e me divertir com meus hobbies.
submitted by joaohonesto to desabafos [link] [comments]


2020.11.19 00:48 Laphyel Queria Ser Uma Garota, Mas Talvez Seja Tarde Demais

Seguinte, Desde os Meus 12 Anos eu Começei a Me Vestir de Menina Escondido, Começou Apos Ver Um Vestido da Minha Irmã no Banheiro e Me Perguntar, "Qual a Sensação de Vestir Isso?" Eu vesti e achei incrivel, começei a fazer todos os dias, Porem Com Mais Peças de Roupa e Sempre Com Cuidado. Lá Pelos Meus 14/15 Mudamos de Casa Para Fazer Reformas, Nesse Periodo em Diante o Banheiro Era Pequeno Ent Não Tinha Mais as Roupas, Alem De Que Elas já não Cabiam em Mim, e Como eu Não Sabia Nada Se eu Era Trans, eu não me preucupava muito com aparecias pois eu ja nem ligava, já sofria bullying todo dia a ponto de já voltar de visita da casa de um colega q perder a Mãe com 5alunos tacando pedra em mim por mais nem menos, pelos meus 17 eu descobri o que era trans mais só pelos meus 19 no começo desse ano ne toquei que eu sou trans, Eu Quero Ser Uma Menina, Mais eu Não Tenho Coragem de Falar Isso, Minha Aparencia é Horrível Ate Pros Padrões Masculinos, Eu me arrependo de ter engordado muito (115~120) esses ultimos anos e n ter me cuidado, mais pra mim já era, Eu to Parado na Linha de Largada Todo Quebrado já Passou Grande Parte da Minha Puberdade, Daqui 2 Meses já Tenho 20, Hormonios apos a puberdade são o pior momento de acordo com conhecidos em grupos, e mesmo que eu tomasse, eu tenho medo e falar isso para meus pais, to empurrando a vida com a barriga ate onde der, unico jeito que eu penso, Isso não deve ter muito risco de eu acabar não gostando de mim é a Troca de Genero, Porem Seria Caro dms, Só Não Penso em Fazer Besteira Com a Vida Porque Eu Não Tenho Coragem Nem Pra Isso. Desculpa se Foi Grande Dms (Eu n Lembro Muito as Idades Mas Meio do Fundamental II, lá Pelo 6° Ano e Quando eu Descobri Oque é Trans e Que eu Sou Foi no EM e Apos Ter Finalizado a Escola)
submitted by Laphyel to desabafo [link] [comments]


2020.11.15 14:14 1cornmilk Mercado de Trabalho para Economistas

Antes de mais, bom domingo Portugal!
Sou um míudo, nascido em pleno século XXI, a estudar Economia, sem qualquer ideia de como vou começar a minha carreira profissional. As minhas notas são boas, mas não quero ficar em águas de bacalhau assim que chegue o tempo de me aventurar no mercado de trabalho.
Sempre me disseram para ter um bom currículo, meter para lá palha que "fica bem" mas honestamente acho que isso é só para inglês ver.
Digam-me, portugueses com um diploma em Economia, qual o vosso emprego atual e que melhores conselhos têm para que possa estar numa melhor posição em relação aos meus futuros colegas de profissão?

Edit: Acho que esta é a flair indicada ao post, qualquer coisa digam que mudo isto.
Edit: Removi “a estudar numa das melhores escolas de economia”, visto que não é necessário nem é relevante para o que realmente quero saber
submitted by 1cornmilk to portugal [link] [comments]


2020.11.15 06:55 SocialThrownaway Eu sou uma pessoa solitária, amarga, fechada, mas ontem eu percebi de verdade o quanto faz falta ter amigos. Aviso, texto enorme.

Eu moro com meus pais e meus irmãos ainda, tenho 20 anos. Trabalho desde os 16, estou na faculdade desde os 18, estudei na mesma escola por mais de 14 anos consecutivos... E apesar de ter tantos ciclos sociais, não consegui cativar um amigo ou confidente de verdade em minha vida, apenas minha ex namorada (um ano mais velha e um pouquinho abusiva) que teve que se mudar para outra cidade.
Acho que eu me acostumei a ser fechado demais, eu me arrependo bastante de ter perdido anos de minha juventude vivendo de maneira tão amarga, tão só... Pois quando eu saio de casa para socializar, eu fico com um vigor tão baixo, como se fosse um fardo ter que me encaixar. Eu acho que me visto bem, me cuido a aparência, consigo conversar, eu consigo ser gentil com as pessoas, mas eu não me sinto bem em situações sociais, não sei se é pânico, ansiedade, fobia social... Mas sei que foi o que aconteceu ontem.
Minha irmã me chamou para sair a um barzinho ontem, na verdade, ela me usou. Minha irmã é mais nova e não trabalha, meu pai hesita em deixar ela sair da casa por tudo o que ela apronta, mas se eu pedisse para sair com ela, ele não viria problema. Nossa idade é bem próxima, nosso ciclo social é o mesmo pois estudamos na mesma escola também, e em uma cidade pequena com a vida noturna agitada, as pessoas acabam se conhecendo por conhecidos em comum. Eu não saio de casa, minha última festa havia sido o Ano Novo. Eu não gosto de conversar com as pessoas, as vezes eu tenho a sensação de que eu corto as conversas e falo muito pouco.
Enfim, não era bem um barzinho. Era só um local de delivery de cerveja em uma rua vazia onde as pessoas estavam se aglomerando na calçada e asfalto, comprando bebida e o fumo direto da cervejaria. Haviam cerca de 30 pessoas ali e eu reconhecia todas por nome, inclusive alguns conhecidos da faculdade que eu não via pessoalmente desde março, mas eu nunca fiz amizade com eles. Por sua vez, eles pareciam muito felizes em me ver e me fizeram mil perguntas sobre porque eu sumi, então eu acho que sou uma pessoa querida para alívio de meus anseios sobre alguém se importar comigo. Fora esse contato com esses colegas, não havia ninguém naquele ambiente que fosse meu amigo. E eu não queria simplesmente sair já que estava desconfortável e deixar minha irmã só é possivelmente bêbada na rua.
Minha irmã, por outro lado, conhecia e parecia ser amiga de todos, e ela me largava e deixava só para conversar ou cumprimentar fulano e sicrano. Ela me puxava para uma rodinha, mas me deixava só entre os lobos, e ao perceber que ela tinha se afastado eu saia daquele grupo. Consegui me encaixar em uma rodinha com minha irmã e duas pessoas, mas minha irmã logo saiu para falar com outra pessoa. Eles eram muito amigos de minha irmã, um menino e uma garota que era minha colega de sala na escola, e perceberam que eu estava muito deslocado. Esse rapaz, enfatizo, que tinha muitos amigos e era extremamente popular, ficou me fazendo companhia mesmo depois da outra garota sair para ir ao banheiro. Conversamos bastante, fiz meu melhor para retribuir a gentileza que estava fazendo comigo. Ali eu percebi que estava com uma pessoa extremamente bondosa, pois ao invés de conversar e se divertir com seus muitos amigos ali, decidiu me acompanhar na solitude até ir embora. Sim, infelizmente ele teve que ir embora cedo, pois iria trabalhar no sábado de manhã. Ele ainda perguntou se eu ficaria bem se ficasse sozinho... Assegurei que sim.
E fiquei novamente só, e como eu não queria ficar só no meio de tanta gente (o que as pessoas iam pensar de mim?), comprei uns cigarros, uma cachaça, e desci a rua um pouco para ficar sozinho longe da vista de todos na esquina. Maldita cachaça, me fez pensar muito. Por que todo mundo consegue se divertir e eu não? Por que eu não sou amigo de ninguém? O que minha irmã fez de certo que eu fiz de errado para ter tantos amigos? Por que minha ex foi minha única amiga de verdade em 14 anos de escola? Mesmo ela sendo um pouco tóxica e a relação bem desgastante, sinto falta dela. Há pelo menos três anos que eu não recebo um "como você está" ou "como foi seu dia" no WhatsApp. O EAD da faculdade é uma merda. Eu ainda tenho sorte de ter um emprego, mas meu chefe é um merda... E chorei. E afoguei as lágrimas numa garrafa de corote, e abafei meu soluço na fumaça quente do cigarro e me senti um lixo, pois se eu sumisse ali mesmo nem minha irmã faria questão de me procurar. Daí a amiga de minha irmã e ex colega de classe que estava naquela rodinha comigo me achou.
Outro anjo. Ela procurava alguém com isqueiro, me encontrou desolado. Eu não esperava que me encontrasse, mas acho que ela deve ter me visto descer a rua acendendo um cigarro e veio me procurar uns minutos depois. Ela me perguntou o que estava acontecendo e eu mesmo bêbado consegui mentir (mal) que estava muito triste com o trabalho, mas acho que ela percebeu que eu estava muito mal por estar... Sozinho. Ela não disse uma palavra e tentou me consolar. A gente se sentou no meio fio ali mesmo, e me fez um carinho, eu estava miserável. A bebida me fez receptivo a outra pessoa, sinceramente, se eu estivesse sóbrio eu não me abriria assim nem com minha mãe. Ficamos apenas abraçados, era tudo o que eu precisava.
Depois de um tempo eu não estava mais magoado, e depois de me recompor, ela perguntou se eu estava melhor, e se eu queria ir embora porque não estava confortável. Eu só disse que estava bem, mas eu não queria estragar a noite de minha irmã dizendo que eu chorei porque ela me deixou só, e que queria ir embora porque eu não tinha amigos ali. Não queria confrontar ela afinal minha irmã não tinha culpa de eu ser tão fechado, sem amigos, tímido... Etc. Não queria demonstrar fraqueza para depois ela ficar se sentindo culpada por ter me levado aquele role.
A minha colega me aconselhou para procurar minha irmã e dizer que queria embora "porque bebi demais", e se perguntasse onde eu estava, que dissesse que estava "ficando" com ela em um lugar discreto. Assim eu fiz, e em 10 minutos eu já estava em um Uber voltando para casa. Minha irmã nem questionou minhas desculpas, inclusive ela estava muito feliz com sua noite, afinal ela se divertiu e bebeu a beça. Não queria mesmo deixar ela triste comigo sobre o que realmente aconteceu naquela hora. Da viagem de volta até o banho e minha cama, eu fiquei refletindo muito no que deu de errado na minha vida social, e se duas pessoas tão bondosas me fizeram tão bem, eu nem imagino o que amigos de verdade fariam com minha saúde mental. Eu não posso ficar sozinho para sempre. Foi um choque de realidade, eu já penso em procurar um psicólogo, terapeuta, o que for para entender o que há de errado comigo. Ter amigos faz muita falta em minha vida.
submitted by SocialThrownaway to desabafos [link] [comments]


2020.11.14 05:09 PrismSpiralsLight Eu devo ter esquecido como viver :/

Desde pequeno eu sempre tive problemas em fazer novas amizades e me abrir para as outras,e mesmo que tenho tido algumas amizades muito especiais, eu sempre me vi voltando a ter momentos em que eu me sentia totalmente solitário. Pra mim, era rotina passar meus recreios na escola sozinho e enfiado na biblioteca (para que ninguém me visse), visto que aquele era o único lugar em que vc n era julgado por estar sozinho. Entretanto, a vida não é feita apenas de momentos, e depois de começar a terapia,me vi cada vez mais próximo das minhas colegas e das outras pessoas.
Isso durou até 2020.
Com a formatura do ensino médio, já era esperado que eu acabaria perdendo algumas amizades (infelizmente), entretanto nunca poderia ter previsto que uma pandemia seria capaz de obliterar completamente todas as minhas amizades. Desde o começo dessa pandemia, eu perdi TODAS minhas amizades e atualmente me vejo passando os meus dias inteiros deitado em minha cama em um estado que parece ser vegetativo. Do dia pra noite, eu desaprendi completamente cm falar com as outras pessoas; até mesmo com a minha família. É raro que em um dia eu fale com a minha família (q ainda tenta se conectar cmg só pq sou parte dela).
A cada dia que passa cresce mais ainda o meu desespero e um sentimento de que daqui pra frente eu nunca mais serei capaz de me conectar com as outras pessoas e ser feliz novamente. Eu realmente não quero isso pra mim
não há palavras pra descrever esse poço sem fundo de depressão e desânimo em que estou preso
pfv n deixem q esse post seja enterrado :/ gostaria de falar cm algm
submitted by PrismSpiralsLight to desabafos [link] [comments]


2020.11.13 20:06 Dangerous-Pumpkin190 Eu fazia programa

Eu li algumas coisas sobre isso em outra rede social hoje e queria muito desabafar mas não podia fazer isso com a minha cara por conta do estigma.
Eu venho de uma familia bastante pobre e sempre fui muito inteligente, disso me venderam a ideia que se eu estudasse bastante, entrasse em uma boa faculdade ia conseguir fazer o que quisesse. Passei direto de uma escola pública da periferia para um curso extremamente concorrido na USP.
Nesse momento, eu acreditei de verdade que a minha vida ia melhorar mas a faculdade era muito difícil. Desde o primeiro semestre, tinham professores passando leituras complexas em inglês, eu sabia um pouco do inglês da escola e de ser curiosa na internet, custei conseguir acompanhar... quando estava mais confortável, começaram alguns textos em francês.
A assistência estudantil me ajudou sobreviver mas é extremamente difícil, a falta de conexões e as longas horas gastas no transporte público sempre me colocou abaixo dos meus colegas. Foi muito difícil arranjar um estágio, depois foi muito difícil me manter no estágio e faculdade e morar na ZL, mas o dinheiro não dava para pagar um quarto no centro.
Quando eu me formei, arranjei um emprego na área para ganhar uma quantia rídicula. Trabalhar até as 22h era norma, e alguns dias o trabalho se alongava nas madrugadas. Sem hora extra, levando muita bronca de uma patroa histérica. Eu tentava procurar outra coisa mas o setor estava em crise e esse tipo de abuso parece ser bem comum.
Eu tinha 23 anos estava exausta e desiludida com a vida. Via minhas amigas da escola pública que nem tinham estudado e sentia inveja delas, porque minha impressão é que estávamos no mesmo lugar: mau pagas e exploradas, mas que no meu caso eu tinha sido iludida por anos achando que dava para mudar. Elas pelo menos tinham continuado no nosso quadrado e mantido relações significativas. No meu bairro, todo mundo me achava meio metida e na faculdade/emprego eu era uma pobrinha brega tentando se encaixar.
Eu fui ficando muito deprimida, cheguei a considerar me matar porque achava que a vida não tinha muito sentido. Isso fez eu começar a relativizar tudo que eu pensava, até que eu cheguei ao ponto de achar que trabalho sexual era uma boa opção. Pesquisei bastante, entrei em contato com algumas meninas que trabalhavam com isso e acabei entrando numa agência de acompanhantes.
No começo, Eu me sentia muito mal de levar uma vida dupla. Eu tinha muita vergonha de fazer coisas cotidianas, me sentia suja andando entre as "pessoas normais" tipo para ir ver a familia ou mesmo ir ao mercado.
No trabalho em si, eu tive muita sorte. Um adendo importante aqui que eu sou uma mulher bem padrão, tinha condição de escolher essa posição e me informar o melhor possível; isso é muito longe da realidade da maioria das prostitutas.
Com o tempo, eu fui até aprendendo a criar afeição por alguns clientes e comecei a ter alguns clientes fixos. Conseguia pagar minhas contas, guardar dinheiro, comprar as coisas que eu queria – eu nunca quis luxo, mas queria poder ir no supermercado e comprar o que eu quisesse, sabe? Não precisar ficar fazendo conta de moedinha e deixando coisa no caixa.
O medo da minha familia/amigos descobrir persistia, e persiste até hoje mesmo eu tendo largado a vida. Isso era definitivamente a pior parte.
Como eu falava inglês (obrigado professores cuzões da USP), pegava muito cliente gringo viajando. Eram meus preferidos pq eles contratavam tipo a semana inteira, me levavam para passear e tals. Nessas, acabei conhecendo meu marido.
Ele veio ao Brasil para trabalho, me contratou por 10 dias. A gente se deu muito bem, ele acabou depois de uns meses pro Brasil meio que só para ficar comigo de novo, e acabou perguntando se eu tinha interesse de me casar e me mudar pro país dele.
Não foi nada romântico, ele foi bem pragmático sobre querer uma esposa que fosse mais "submissa" e que era difícil achar alguém do país dele que quisesse a mesma coisa, que ele não tinha muita paciência para romance e essas coisas. Ele já tinha, inclusive, tentado um acordo semelhante com uma garota ucraniana mas não deu muito certo porque ela queria muito luxo.
Foi um acordo, parecia arriscado mas eu sabia que a vida de GP tinha um prazo de validade e eu tava meio desiludida de tudo por aqui e aceitei. Não me orgulho, mas não me arrependo. Fingi para todo mundo que a gente se conheceu de uma maneira normal, ele conheceu minha familia (que adoram ele) e eu vim para cá.
Meu marido é muito bom para mim. Ele trabalha numa área correlata a minha de formação, ele me ajudou a arranjar um emprego e aqui o mercado é completamente diferente. Eu trabalho meio período e meu salário é todo meu, mas eu cuido da casa sozinha (o que seria normal no Brasil, mas aqui não é). A gente decidiu ter filhos só depois de eu ter a residência permanente para, caso a gente se separe, eu consiga ficar aqui sem problemas. Ele nunca jogou na minha cara o que eu fazia, me apresentou para família e amigos e me estimula a ter amigos e hobbies aqui.
Eu me sinto muito feliz, a minha vida é confortável e eu gosto de ter um relacionamento onde tudo é colocado de maneira clara.
O que me fez querer escrever isso é que sempre que eu vejo discussões sobre trabalho sexual as pessoas colocam um estigma gigante nisso como algo sujo e corrupto. Não nego que existe um lado feio para boa parte das meninas envolvidas, mas não é tudo assim e a gente devia quebrar esse discurso moralista e pronto exatamente para conquistar uma qualidade melhor de trabalho para todas.
Nessa discussão que eu li, eu vi meninas falando como todos os homens que recorrem a esse tipo de serviço são depravados e nojentos, e eu nunca tive nenhum cliente que me pedisse nada fora do convencional. Muitos eram só pessoas carentes e ocupadas. Eu passei por mais abuso (incluindo assédio sexual) num trabalho convencional de escritório e na Universidade do que como GP.
Não indicaria a carreira para ninguém, exceto como algo pontual, porque não é algo sustentável a longo prazo... mas para mim, foi algo muito bom e me ajudou a encaminhar minha vida para um lugar de paz.
Poucas pessoas sabem sobre isso e sobre a verdade do meu casamento, e mesmo tendo selecionado bem quem eu contei, já tive que ouvir muitas coisas moralistas e julgadoras. Inclusive por ter atendido muitos gringos e ter me casado com um, tem um certo estereótipo que eles curtem coisas sujas tipo escatalogia, e eu nunca passei por isso.
Outra coisa, quando eu me mudei para cá, o Estado te paga um curso da língua local e outro sobre cultura. Tinham outras brasileiras em situações similares, algumas assumidamente e outras que escondem ou talvez não eram "profissionais". E tem um pouco de tudo... tem gente feliz, gente com relacionamentos horríveis, gente que quer dar o golpe e conseguir residência, umas que sequer falam outra língua e não sei como se comunicam com o marido. Não quero que ninguém leia isso como uma chamada para fazerem o mesmo que eu, só queria tirar isso do meu coração hoje depois do tópico horrível que li em outro site.
submitted by Dangerous-Pumpkin190 to desabafos [link] [comments]


2020.11.12 00:32 Observador2469 Existe algum problema em tentar arrumar uma namorada apenas pelo sexo?

Durante quase todo meu período na escola, fui o "patinho feio". Eu não era uma aberração, acho era 4 ou 5/10, mas eu não me arrumava bem me cuidava direito (mas eu era bem higiênico). E apesar disso algumas garotas até gostaram e se interessaram por mim (por incrível que pareça). Existiam dois fatores para eu não ter me relacionado com ninguém na época da escola: o primeiro era que eu não me interessava por relacionamentos como meus colegas; o segundo problema era meu vício em masturbação, que me acompanhava desde os 10 anos e que só consegui vencer neste ano.
Tudo mudou quando comecei a me arrumar e me cuidar. Eu estava no 3° ano do ensino médio. Eu nunca tive problemas com a socialização, mas nunca tive muita confiança, atitude ou vontade de conversar. Desta forma, apesar de receber inúmeros olhares, elogios e flertes não me interessei em entrar em relacionamentos ou ficar com as garotas.
Tudo mudou nesse ano. Entendi o porque de eu não sentir interesse em falar com as garotas (vício em masturbação) e resolvi esse problema. Também fui um dos jovens que fez a quarentena como foi pedido - fiquei de março até setembro em casa, quando comecei a sair para fazer ginástica (academia) - isso junto a uma frequência saudável de masturbação, aumentou muito a minha libido e fantasias. A questão é que atualmente, não sinto mais nem 10% do prazer que eu sentia ao me masturbar e tenho sentido casa vez mais vontade de fazer sexo. Destarte tenho pensado seriamente em arrumar uma namorada pra fazer sexo.
Faz-se necessário observar que eu não tenho problema algum em dar atenção, carinho e um pouco do meu tempo para a garota em questão, se eu conseguir receber sexo em troca.
Considerando apenas a aparência, tenho chance com uma boa parte das garotas da minha idade (18). Considerando meu papo e flerte, também.
A pergunta que eu faço a vocês é a seguinte: existe algo de errado com a minha lógica? Na parte de namorar a mina só pelo sexo? Tenho pensando muito nisso. Quando procuro me distanciar um pouco do meu próprio ponto de vista, penso que eu estou sendo mal caráter e apenas usando a mina.
Desde já agradeço pelas respostas e atenção de vocês. E foi mal pelo textão. Penso que uma contextualização adequada é necessária para boas respostas.
submitted by Observador2469 to sexualidade [link] [comments]


2020.11.10 15:21 -Galactic_Cat- Ninguem ta bem?

Serio, a vida de todo mundo parece q ta uma bosta'-'. Tenho um ex-colega de trabalho q ta se matando de trabalhar pra ganhar R$63,11 por dia das 15h as 03:00h. Uma ex-colega de escola q ta estagiando na prefeitura, ganha uns 700 e tantos por 6 horas diarias, faz faculdade de educação fisica EaD, vai pra igreja, super bonita, coxas definidas e tal, sempre super feliz no insta mas na vida real ela sempre ta de cara amarrada. Eu trabalho das 5:45 as 10h no maximo(quase sempre saio umas 8, 9h) ganho R$680 liquido, chego em casa e vou treinar na minha academia, depois almoço, estudo oq consigo até umas 16,17h e volto trabalhar.... E TAMEM NUM TA BÃO!
Mais q inferno, do q eu ganho consigo guardar 600 conto kkk, num gosto de gasta pq sempre tenho crise existencial, num namoro pq n consigo me dedicar 100% pra uma pessoa por mt tempo, num quero fazer faculdade pq n vale a pena, num quero sair pq fico entediado, num tenho amigo pq n tenho oportunidade de interagir com as pessoas...
Pq vc n esta contente jovem gafanhoto?
submitted by -Galactic_Cat- to desabafos [link] [comments]


2020.11.08 04:19 DavidDBurkhart Perdido sem saber oque faço.

Bom, não sei muito bem por onde começar, mas sei que eu preciso desabafar, sempre tive a vontade de ir a um psicologo mas sempre tive alguns problemas com isso, mas pretendo encontrar algum após toda essa pandemia acabar.
Realmente sinto a falta de alguém para conversar algumas coisas, tenho meu pai, mas infelizmente ele está passando por uma fase de ser MUITO religioso a ponto de qualquer coisa que eu fale ele me diz para conversar com Deus, peça a Deus e todo esse papo religioso, tenho uma certa crença no deus cristão mas me considero agnóstico.
Tenho minha irmã que sempre foi boa comigo e cuidou de mim desde muito novo quando nossa mãe nos largou, não tenho palavras para agradecer a ela que largou tudo por mim, e é apenas isso que me motiva, tentar trazer algo melhor para ela, tentar recompensar ela de alguma forma.
Mas oque eu realmente queria dizer aqui é que, eu cansei de ser quem eu sou, nunca tive problemas em ser pouco sociável estava tranquilo com essa minha decisão.
Mas eu cansei disso, vou fazer 20 anos e to em um emprego que eu GOSTAVA mas ja to de saco cheio disso, ganhar pouco, atender cliente chato, fazer coisas chatas, mas tudo bem né, todo emprego eu imagino que seja assim
Quando eu paro pra pensar oque eu quero fazer não me vem nada na cabeça que eu goste, acabo achando tudo muito chato no final, muito tedioso, tudo mesmo, até oque eu mais faço que é jogar, eu acho tedioso fazer isso de uma forma mais "profissional".
Ja tentei fazer varias coisas, tentando por 1h, 1 dia, 1 semana, 1 mês, sempre forçando algo, eu tento, tento mesmo, mas nunca desperta algo em mim que faça eu realmente querer fazer aquilo, mesmo eu sabendo que não posso escolher oque quero, sabendo que eu apenas tenho que fazer algo, mas não consigo, fico estagnado, sempre chega uma hora de algo que eu estou tentando fazer e simplesmente não consigo mais.
Me lembro de algumas coisas que eu li, dizendo para encontrar algo que goste de fazer e se entregar ao máximo naquilo, mas esse é todo o problema, eu não faço a minima ideia do que pode ser feito, mesmo que seja algo MUITO alem da minha imaginação, sempre fui muito pé no chão, sem sonhos não reais, e até mesmo por isso já pensei em muitas coisas que são fora de minha realidade mas por mais irreal que seja, não encontro nada.
Bom, eu sempre tive problema com disciplina, e eu acho que esse é o meu maior problema, sempre fui um procrastinador nato.
Mas desde o ano passado que eu venho tentando mudar isso. ano passado fiz CESEC e consegui concluir uma parte dos estudos no final de 2019 e estava para terminar o resto nesse ano e por um pouco de procrastinação e falta de sorte, bum, quarentena adiou meus planos de tentar concluir os ensinos esse ano e tentar fazer algo presencial para tentar aprimorar minha disciplina.
E como eu deixei isso aconteceu comigo?
Desde muito novo eu não gostava de ir a escola, e meu pai que estudou apenas até o quarto ano nunca fez muita questão de eu ir a escola, então quando eu dizia que não queria ir ele sempre deixava, não culpo meu pai por isso, sei que é culpa minha, mas poxa, eu tinha 07 - 09 anos, acho que a maioria das crianças não gostam de ir pra escola nessa idade, então eu fui criando essa falta de disciplina.
Fui reprovado um ano por causa das faltas que eu tive, e no ano seguinte, em junho/julho acabei perdendo mais um ano por causa do falecimento da minha mãe, mesmo que ausente na minha vida, o pouco convívio que eu tinha com ela beteu um pouco forte.
Apos isso minha outra irmã por parte de mãe me convidou para morar com ela e estudar, meu pai aceitou, eu aceitei e foi muito bom, eu adorava a nova escola, adorava os amigos que eu tinha la foi uma experiencia muito boa, que eu sinto muita falta de não ter continuado estudando la, após 2 anos morando com minha irmã eu voltei para a casa do meu pai, voltei a estudar na escola na qual eu estudava quando mais novo, e não demorou muito para eu voltar pra minha rotina de faltas, porem desta vez fui mais moderado não faltando muito para poder passar de ano.
Sempre tive muita vergonha da minha casa, pois não é muito bem uma "casa" e para mim, criança/adolescente não era muito legal pensar em chamar algum amigo para ca, ou algo assim fazendo com que eu não tivesse um vinculo fora da escola com algum amigo.
Um amigo muito próximo meu teve que sair da escola e eu acabei ficando muito sozinho, naquele tempo eu infelizmente não tinha o pensamento de hoje e como eu ja não gostava de estudar, isso fez com que eu fosse parando de ir cada vez mais, até que eu parei de ir a escola e nunca mais voltei. assim que eu sai eu tinha contato de alguns "amigos", mas que foi se perdendo, por culpa minha, insegurança, autoestima, essas coisas.
Ficando cada vez mais fechado e caindo na rotina de trabalho/casa, e como eu disse acima, eu estava tranquilo com isso, até um tempo pra atrás que eu percebi oque eu avia perdido, perdi toda uma adolescência, socializar, sair com os amigos, uma namorada ou algo assim, e isso bateu muito forte em mim, percebi tudo oque eu avia perdido e agora eu me encontro aqui, 19 anos ainda virgem (mas considero isso o menor dos meus problemas, não fico muito nessa paranoia), sem nenhum amigo ou colega, sem a minima noção do vou fazer da minha vida seja em trabalho ou pessoal e financeiramente fodido sem poder contar com pai ou família.
E eu não sei oque faço, parece que a cada dia isso vai ficando maior e maior, só vai aparecendo problemas em cima de problemas e eu não faço a minima ideia de onde começar pra arrumar toda essa cagada que eu construí.
Essa é a primeira vez que eu "falo" sobre isso de alguma forma e só de ter escrito esse texo ja sinto um certo alivio de finalmente esta desabafando isso.
Desculpa ae pelo textão e os erros no português.
submitted by DavidDBurkhart to desabafos [link] [comments]


2020.11.04 22:31 jjuurueussu7d7z7s Mas um post meu

Eu sou o garoto dos amigos imaginarios do ultimo post agora eu vou debater sobre amigos eu sempre odiei sem nenhum motivo as pessoas que estavam em minha volta mas era só mesmo pra eu descontar o meu estresse eu trato bem todos que vem conversar comigo ou pergunta algo e sou um aluno bem esforçado mas eu nunca fiz muitos amigos e os meu unicos dois amigos eu odeio de verdade mas trato bem eles eu sempre fui calado então ninquem falava muito comigo o meu melhor amigo era o kassio mas ele acbou into pra aula de manha e eu continuei na de tarde quanto nos estavamos into pra quarta sere eu nunca criei laços com qualquer professor mas eu ainda brincava com os meu colegas e eles sempre acabavam prigando e isso me irritava pos achava eles muito dramaticos eu as poucos parei de ficar brincando e agora eu só jogo as vezes na aula de educação física antigamente eu tinha um cabelo muito curto mas agora ele tá um pouco grande e cobre meus olhos fazendo eu encharca mais escuro e tbm eu nunca gostei de brincar com outras crianças na maioria das vezes eu só brincava um pouco nad escola e nas festas dtipo de aniversario enfantil ou eu era forçado a brincar teve uma vez que o meu pai ficou tão puto comigo por eu não brincar com ninquem que eu chorei ate e depois de um tempo eu só sabia que ia ser forçado então só brincava logo eu sempre sou meio fodase tbm quanto tem um dia que a familia dira um dia pra conversar ate por que eu só fuco olhando eles conversar eu não falo nada tenho dois gatos e eu os amo mas to que qualquer humano
submitted by jjuurueussu7d7z7s to Tropia [link] [comments]


2020.11.04 17:31 hasthur76 Eu apenas existo

É isto, o titulo é autoexplicativo. Tenho 25 anos, no meu tempo livre jogo videogame e passo um tempo no youtube ou escuto musica só para passar o dia e ir para a cama, só para fazer tudo de novo no dia seguinte. Não tenho ambição porque não há nada que eu queira. Não quero dinheiro, uma casa chique, uma namorada, filhos, nem mesmo um emprego. E de uma forma meio que estou em paz com isso. Minha vida inteira eu sempre fui assim. Na escola eu era um garoto solitário que só fazia o suficiente pra ser aprovado no fim do ano, nunca tive muitos amigos, apenas colegas que só apareciam quando precisavam de alguma coisa. Por um milagre tive uma namorada que eventualmente se cansou de mim e me trocou por um amigo dela. Tive empregos medianos, fiz alguns cursos, e atualmente levo uma vida mediana. Minha maior conquista até hoje foi ter conseguido comprar um PC decente.
Já conversei com a minha mãe sobre isso, fui ao médico que me indicou uns antidepressivos e um psicólogo, o qual considerei a maior perda de tempo, porque eu não vejo como posso mudar isso. Talvez esse seja a minha sina, ser só mais um que passa pela vida sem ser notado. Quando era mais novo esse sentimento me destruía, era cobrado de todo mundo pra ser alguém na vida , mas acabei não virando esse "alguém". Minha mãe insiste em me dizer que sou uma pessoa boa e nada disso importa, talvez ela tenha razão. Pelo menos não tenho nada a perder.
submitted by hasthur76 to desabafos [link] [comments]


2020.11.04 16:48 Humano_Terraqueo Um dos sonhos mais estranhos que tive na minha vida.

Apareço num lugar que parece ser um hospital. Está lotado, como todo bom e velho hospital público. Todos vestem aquelas batas de pacientes brancas e estão numa recepção aguardando serem chamados.
Na primeira vez não me lembro muito bem o que aconteceu. Eu digo "na primeira vez" porque ali era um lugar que você poderia sair e entrar quando você quisesse, como se tivesse deslogando e logando em um jogo online de computador, mas, o estranho é que não havia nenhum tipo de "fast travel" pra você sair daquele lugar. Ou seja,se você se "deslogasse", não importava o tempo que você demorasse, quando você logasse de novo iria parar ali novamente naquela recepção de hospital novamente.
Na primeira vez, eu me desloguei e quando voltei para a recepção eu não lembro o que tinha acontecido, só sei que foi um enorme "perigo" que fez eu me deslogar. Nessa segunda vez que voltei para a recepção, começo a perceber algumas pessoas vomitando e saindo da sala a qual as pessoas que estavam na recepção eram chamadas para irem.
O vômito era algo transparente e espesso, parecia com um gel. Na verdade, pensando agora, parecia MESMO com álcool gel, visualmente aparentava ser álcool gel, mas não lembro se realmente era álcool gel, pois não lembro de nenhum cheiro característico.
Então chegou a minha vez de entrar nessa sala que fica depois da recepção. Quando entrei, tinham três mulheres que aparentavam serem enfermeiras e uma conversava com cada uma daquelas pessoas que vinham da recepção.A sala tinha um tamanho normal como em qualquer outro ambiente comum. Tinha uma mesa ao lado esquerdo da porta na qual você entrava e no outro lado da sala havia umas 5 ou 6 cadeiras, não lembro muito bem a quantidade.
Depois de conversar com uma dessas mulheres, a pessoa iria para uma dessas cadeiras. Mas a pessoa só iria pra essas cadeiras depois de tomar um tipo de "remédio", que aparentemente era como um comprimido. Eu não cheguei a ver esse "remédio", mas eu acho que era um comprimido porque esse tipo de remédio é o mais fácil de ser "tomado". Talvez vai dar para entender isso um pouco mais pra frente.
Quando eu fui conversar com a mulher, não lembro o que foi dito mas a minha reação foi de querer sair dali! Eu me sentia como se quisessem me internar sem eu estar doente, ou algo do tipo. Então, para fugir, eu usei o "deslogamento". Aparentemente foi a primeira vez que me lembro que eu usei o "deslogamento". Ou seja, eu me desloguei depois que algo me deixou com muito medo ou muito frustrado, e voltei novamente para a recepção depois de alguns minutos ou horas.
Quando chegou a minha vez novamente de ir para aquela sala, eu já fui com um pensamento que dizia: "--Porra, se eu tivesse uma arma eu já teria saído daqui..." quando eu estava na recepção vi mais pessoas vomitando. Mais do que o "normal" da vez anterior que eu estava ali. E elas saíam sempre daquela "sala", saiam correndo vomitando aquele líquido que se parecia com álcool gel.
Quando entrei na sala não pensei muito e nem houve conversa, bati na mulher que veio "conversar" comigo e disse que não ia tomar aquele "remédio". Então, as outras duas mulheres que ficavam meio que "observando" vieram em minha direção, só que uma estava segurando algo que se parecia com um funil. Um funil que, no meu entendimento, seria usado para abrir a minha boca para aplicarem esse tal remédio. Então foi a terceira vez que eu tinha deslogado, consegui "fugir" por pouco.
Quando voltei para a recepção novamente, mais do mesmo: pessoas vomitando enquanto saiam correndo daquela sala. Agora tinham faxineiras limpando os vômitos com esfregões. Eu cheguei a perguntar a uma delas o que era aquele lugar e o porquê de eu estar ali, mas elas me olhavam com uma cara feia e não falavam nada, continuavam a esfregar o chão. Quando dei uma boa olhada na recepção, percebi que havia um colega da escola, da época que eu estava na 8ª série e no 1º ano, contudo, não lembro quem era. Só sei que ele era dessa época da minha escola.
Então conversei um pouco com esse meu "colega" e aparentemente eu perguntei pra ele como sair dali. Não lembro de mim perguntando isso a ele, contudo a resposta foi: "--É bem mais fácil se você tomar o remédio." Depois lembramos de uma vez que briguei no colégio. Foi uma vez em que eu tinha cortado a boca e dado pontos, e salientei que aquele local se parecia muito com o hospital que eu tinha ido para dar os pontos no corte da boca. E eu lembrava dessa "briga" com um certo orgulho, pois foi uma briga que, por mais que eu tivesse saído com a boca cortada, aparentemente eu teria "vencido".
Dessa vez eu fiquei um pouco mais de tempo na recepção e percebi outra sala que ficava ao lado oposto daquela outra sala. Era uma sala que parecia um lugar onde as pessoas iam para se "recuperar" depois de tomar o remédio. Quando eu conversava com essas outras pessoas que estavam nessa outra sala a resposta era sempre a mesma: "--Vai ser mais fácil tomar o remédio." Quando chega a minha vez de voltar para aquela bendita sala, converso com a enfermeira que falava com quem entrasse naquela sala. Agora eu lembro muito bem de como ela era.
Essa mulher, eu não lembro muito bem do rosto dela, mas lembro que ela era baixinha. Eu tinha quase o dobro do tamanho dela. Não que ela fosse "tão baixinha", mas porque eu tenho uma estatura alta, tenho uns 1,89m de altura. Tinha a pele clara e os cabelos longos e pretos. Era bonita. Eu tinha me "apaixonado" um pouquinho, mas aparentava não ter tempo para "cantadas" ou algo do tipo naquele momento. Ela tinha olhos castanhos pretos, o nariz parecia ser "normal" e a boca também.
Quando fui conversar com ela, chamei ela "de canto" e sussurrei para as outras duas mulheres não escutarem, e o que eu disse pra ela foi mais ou menos o seguinte:
— Oi, essa não é a primeira vez que estou aqui. Eu quero tomar o remédio da maneira mais fácil e pacífica. Então eu quero saber o que precisa ser feito.
Então ela respondeu:
— Entendo, que bom que você decidiu isso. Mas infelizmente você vai ter que passar por uma conversa pra ser decidido se você vai tomar o remédio.
Então, seguindo com a conversa, ela disse:
— Essa "entrevista" vai ser composta por apenas algumas perguntas e, no final, iremos conversar com um morador de rua.
Tudo isso com uma feição angelical e falando em um tom bem amigável. Como se fosse um tom de "relaxa, vai ficar tudo bem, você vai tirar isso de letra".
Eu não lembro bem da primeira pergunta e nem o que eu respondi, mas a segunda pergunta não foi bem uma "pergunta".
Estávamos conversando naquela mesa que tinha ao lado esquerdo da porta. De repente, estava eu, a moça baixinha do cabelo preto e uma das enfermeiras sentados e a outra enfermeira estava em pé olhando para gente.
A enfermeira que estava de pé se dirige a um frigobar que estava ao seu lado (até aquele momento eu não tinha visto aquele frigobar ali) e ela tirou três pratos com o que pareciam ser daqueles empadões ou tortas salgadas. Ela deu um prato para cada um. Quando o meu prato veio, percebi que estava com a parte de cima queimada, mas só era tirar a parte queimada e comer normalmente. Os pratos das outras duas mulheres que estavam sentadas na mesa aparentavam estarem normais.
— Pode comer? — Eu pergunto.
— Pode sim! — Ela responde.
Quando eu pego o garfo e estou quase tirando um pedaço da comida ela segura a minha mão e diz:
— Você ia mesmo comer?
— Ué? Sim!
— Você não tá vendo que tá queimado?
— Sim, mas é só tirar a parte de cima e comer o resto.
— Então você acha certo ver as coisas queimadas? O que você pensaria do meu pai, que morreu queimado? Você gostaria de vê-lo queimado?
— Não! De onde você tirou isso? E porque você tá comparando seu pai queimado com um prato de comida? É como comparar um tiro de revólver, com um tiro de canhão de um tanque de guerra ou um raio de plasma de uma nave espacial. — Eu respondi.
Em um tom meio que de desaprovação, ela responde: — Sim, é sim... é como se fosse mesmo... — nisso a enfermeira que estava de pé recolhe os pratos. Os das duas estavam vazios e o meu estava sem ser tocado.
No decorrer dessa entrevista, foi perguntado algo sobre satélites. Algum tipo de cobertura de "radiofrequencia" e qual era a minha opinião perante aquilo. Não lembro o que eu respondi, mas lembro do vídeo que esquematizava esse tipo de sinal. Apareciam umas antenas, semelhantes a antenas parabólicas, aparentemente se comunicando umas com as outras e, no que o vídeo avançava, pareciam que elas estavam em todo o planeta, tinham delas até no meio do mar.
Depois disso não lembro mais o que foi conversado. A única coisa que lembro é o mais puro terror: a mulher baixinha dos cabelos pretos com uma feição de tristeza, suspirando baixinho, e quando eu olho para o lado as duas enfermeiras estão de pé, bem ao meu lado, e uma delas estava segurando aquele bendito funil! Não lembro se consegui "deslogar" dessa vez.
Foi aí que acordei, tão suado que parecia que o índice pluviométrico da cidade teria se precipitado em cima de mim na cama.
submitted by Humano_Terraqueo to desabafos [link] [comments]


2020.11.04 16:41 n1colovik Angústias do passado

Dois anos atrás, fiquei com uma colega de classe, senti de verdade que ela era a pessoa certa, tínhamos muito em comum e estava tudo dando certo, mas tudo terminou depois de um tempo. No começo ficou um clima estranho, eu ia pra escola e ela sempre parecia muito bem diante do que aconteceu, e eu sempre tentava esconder o que sentia diante disso. Logo nos aproximamos de novo, agora apenas como amigos, mas bem próximos. Até o começo desse ano, nossa relação ia muito tranquila, mesmo com a gente tendo se distanciado e voltado a se falar varias vezes durante esses dois anos. Quando a pandemia começou, paramos de conversar e de se ver, visto que o EAD tinha começado. Pensei que tudo fosse se resolver na semana passada, quando as aulas presenciais voltaram, mas parece que ela não se lembra de mim, isso me causou uma angústia seguida de uma ansiedade que não sentia desde o término. Ela parece estar extremamente feliz com os amigos que tem, o que tira minha coragem de perguntar: "O que aconteceu?". Pra piorar, toda vez que vou conversar com algum amigo meu, ela está perto, conversando na rodinha, parece que quando tento me aproximar o clima fica estranho e logo saio de perto.
Eu sinto falta, mas ao mesmo tempo entendo que talvez deveria esquecer tudo, de todas as vezes que nos desentendemos, de todas as vezes que se abraçamos, mas nunca consigo.
submitted by n1colovik to desabafos [link] [comments]


2020.11.04 03:41 futebolstats A Carreira de Alphonso Davies em Números

Quando cita-se um dos melhores laterais esquerdos da atualidade, Alphonso Davies que atualmente defende o Bayern de Munique da Alemanha e a Seleção Canadense, deve ser levado em conta.
Alphonso Boyle Davies nasceu em 02/11/2000 em Buduburam, em Gana. Antes de chegar ao estrelato e jogar pelo Bayern de Munique, Davies enfrentou muitas adversidades. Porém, o que mais se sabe sobre a vida de Davies? Por quais clubes ele jogou? Quais feitos o jovem lateral-esquerdo atingiu até aqui?

Juvenil

Alphonso Davies é filho de pais liberianos – Libéria, país africano – e nasceu em Buduburam, um campo de refugiados em Gana. Seu pai, Debeah Davies, e sua mãe, Victoria Davies, viviam originalmente em Monróvia, capital da Libéria. Eles fugiram do país durante a Segunda Guerra Civil da Libéria, que deslocou mais de 450 mil liberianos. Quando Alphonso tinha apenas 5 anos de idade, ele e sua família mudaram-se para Edmonton, Canadá. Em 6 de junho de 2017, Davies recebeu a cidadania canadense; até então ele era um cidadão liberiano. Alphonso é o quarto filho mais novo de 6 irmãos.
Davies frequentou St Nicholas Catholic Junior High, um distrito escolar católico de Edmonton. Seu colega de time de futebol da escola, Onesphore Hamis, lembrou: “Futebol era o que ele queria, mas o idioma era um problema.”_Seu colega de classe de teatro, Chernoh Fahnbulleh, emigrado do mesmo país que Davies recordou: _“Ele falava inglês mas era, tipo, um inglês quebrado.”
Nesta mesma época, como já foi dito acima, a paixão de Davies era o futebol e curiosamente, Davies jogou futebol organizado pela primeira vez com a Free Footie, uma liga de futebol pós-escolar para alunos de escolas primárias que não tinham condições de pagar as taxas de inscrição e equipamentos, ou que não tinham transporte para os jogos.
Depois de jogar pelo Edmonton Internationals em 2005, ingressou nas categorias de base do Edmonton Strikers no ano seguinte (2006) e em 2015, Davies se juntou ao Whitecaps FC Residency com a idade de 14 anos e a partir deste ponto, o sucesso do garoto nascido em um campo de refugiados, começou a se desenhar.

A Carreira de Alphonso Davies em Números

Vancouver Whitecaps

Categorias de Base

Depois de ingressar nas categorias de base do Vancouver Whitecaps, durante uma turnê de pré-temporada da MLS 2016 – Principal Campeonato de Futebol dos Estados Unidos e do Canadá -, Davies assinou com o Whitecaps FC 2, time que disputava a USL – 2ª Divisão do Futebol Estadunidense – em 23 de fevereiro de 2016. Na época da sua assinatura, ele se tornou o jogador mais jovem a assinar um contrato com um time da USL; ele tinha apenas 15 anos e 3 meses de idade.
Davies fez sua estreia profissional pelo Whitecaps FC 2 com apenas 15 anos e 5 meses de idade em abril de 2016. Em 15/05/2016, ele marcou seu primeiro gol como profissional, tornando-se o atleta mais jovem da história da USL a marcar um tento, com 15 anos e 6 meses de idade. Este recorde foi mantido por Davies até o ano de 2020. Ele marcou 2 gols em 11 jogos disputados pelo Vancouver Whitecaps FC 2.

2016

Davies foi selecionado para os jogos do time principal do Vancouver Whitecaps para a disputa do Campeonato Canadense de 2016 em um contrato de curto prazo. Em 2 de junho, no primeiro confronto da semifinal do campeonato nacional, Carl Robinson – técnico do Whitecaps nessa época – promoveu a estreia de Alphonso como profissional quando o colocou em campo no lugar de Ben McKendry aos 27 minutos da segunda etapa, contudo esta foi uma estreia para se esquecer, pois o Ottawa Fury venceu o Whitecaps por 2-0. Na semana seguinte, mais precisamente em 09/06/2016, Davies iniciou entre os titulares e o Vancouver Whitecaps conseguiu reverter a desvantagem do jogo de ida e venceu por 3-0.
Posteriormente, o Vancouver Whitecaps enfrentou o Toronto FC na final e após um revés por 1-0 no primeiro confronto, venceu o segundo por 2-1, porém com o critério do gol fora de casa, o Toronto FC se sagrou campeão do Campeonato Canadense de 2016.
Em 15/07/2016, Davies assinou um novo contrato com o Whitecaps, contrato no qual estendia seu vínculo com o clube até o ano de 2018, com opções de renovação para as temporadas de 2019 e de 2020. Na época de sua assinatura, ele era o jogador ativo mais jovem na Major League Soccer – Campeonato que conta com times dos EUA e alguns clubes do Canadá – e o terceiro jogador mais jovem a assinar um contrato com a MLS. Davies fez sua estreia na MLS no dia seguinte, tornando-se o segundo jogador mais jovem a jogar por este campeonato, ficando atrás apenas de Freddy Adu.
Em 14/09/2016, em partida válida pela 3ª rodada da fase de grupos da CONCACAF Champions League (Liga dos Campeões da CONCACAF), Davies marcou seu primeiro tento como profissional na vitória por 3-1 sobre o Sporting Kansas City dos Estados Unidos.
Com o passar do tempo, o jovem garoto de 15 anos foi se aprimorando e com isso, conquistou seu espaço entre os titulares dos Caps – Vancouver Whitecaps – e consequentemente, se tornou o segundo titular mais jovem da história da MLS quando começou um jogo contra o Colorado Rapids em 25/09/2016.
Em 03/10/2016, em jogo da 32ª rodada da MLS, Davies jogou como titular novamente e sofreu o pênalti que foi convertido por Pedro Morales no revés por 2-1 ante o Seattle Sounders no BC Place Stadium (estádio do Whitecaps).
Em suma, na sua 1ª temporada como profissional, Alphonso Davies disputou 15 partidas, fez 1 gol e proveu uma assistência. Quanto ao Vancouver Whitecaps, foi vice-campeão do Campeonato Canadense, terminou em 16º lugar na Major League Soccer e se classificou para a fase de mata-mata da Liga dos Campeões da CONCACAF.
PdGmACACVMj no ano de 2016
2632101298
Pd* – Partidas disputadas, Gm – Gols marcados, A – Assistências, CA – Cartões amarelos, CV – Cartões vermelhos e Mj – Minutos jogados

2017

Pelo segundo confronto das quartas de final da Liga dos Campeões da CONCACAF contra o New York Red Bulls dos Estados Unidos, em 3 de março de 2017, Davies marcou o primeiro gol da vitória dos Caps por 2-0 sobre o time estadunidense. Com um empate em 1-1 no primeiro confronto, a equipe canadense levou a melhor no placar agregado – 3 a 1 – e com isso seguiu adiante na competição. Posteriormente, o Vancouver Whitecaps foi eliminado pelo Tigres do México na semifinal.
Após o gol marcado contra o New York Red Bulls, o jovem lateral-esquerdo de apenas 16 anos de idade só voltou a balançar as redes em 24/05/2017 no primeiro confronto da semifinal do Campeonato Canadense, ao qual o Vancouver Whitecaps venceu o Montreal Impact por 2-1. Além de ter feito 1 gol, também contribuiu com assistência para o gol de Nicolás Mezquida. No segundo confronto entre as duas equipes na semana seguinte, em 31/05/2017, Davies entrou em campo logo após o intervalo no lugar de Mezquida e marcou o primeiro gol dos Caps no revés por 4-2 ante o Impact. Com o placar agregado de 5-4, o Montreal Impact se classificou para a final.
Em 24/08/2017, em jogo da 26ª rodada da MLS, o camisa 67 dos Caps – Davies – entrou em campo aos 11 minutos da segunda etapa no lugar de Cristian Techera e 8 minutos depois, deu o passe para o tento marcado por Fredy Montero no empate em 1-1 com o Seattle Sounders no BC Place Stadium.
Após suas primeiras aparições na MLS, Davies atraiu o interesse de alguns clubes europeus, tais como Manchester United, Chelsea e Liverpool – equipes inglesas – e também foi eleito um dos 60 melhores jovens talentos do futebol mundial em 2017.
Em suma, em sua 2ª temporada com a camisa dos Caps, Alphonso Davies disputou 33 partidas, fez 3 gols e proveu duas assistências. Quanto ao Vancouver Whitecaps, terminou em 8º lugar na Major League Soccer, foi eliminado nas semifinais da Liga dos Campeões da CONCACAF e do Campeonato Canadense e também caiu nas quartas de final da Copa da MLS.
PdGmACACVMj no ano de 2017
3332201532
3 gols dos quais 2 foram pelo Campeonato Canadense e 1 pela fase mata-mata da Liga dos Campeões da CONCACAF

2018

Na estreia dos Caps nessa edição da MLS em 5 de março de 2018, Davies iniciou entre os titulares e marcou seu primeiro tento neste campeonato no triunfo por 2-1 sobre o Montreal Impact. Além do tento marcado, proveu assistência para o gol de Kei Kamara.
Após o gol marcado contra o Montreal Impacts na 1ª rodada da Major League Soccer, Alphonso só voltou a balançar as redes em 10/06/2018, em jogo da 16ª rodada da MLS, ao qual o Vancouver Whitecaps impôs uma goleada de 5-2 sobre o Orlando City. Além do tento marcado, o camisa 67 dos Caps proveu assistências para os gols de Kei Kamara, Yordy Reyna e de Nicolás Mezquida.
Em 15/07/2018, em partida válida pela 20ª rodada da Major League Soccer, Davies marcou seu 3º tento nessa temporada no revés por 3-1 ante o DC United.
Pela 22ª rodada da MLS em 29/07/2018, o camisa 67 dos Caps marcou seu primeiro doblete – ocorre quando um jogador faz 2 gols numa mesma partida – como profissional na vitória por 4-2 sobre o Minnesota United. Além dos tentos marcados, contribuiu com assistências para os gols de Reyna e de Kamara.
Em 29 de junho de 2018, Davies foi incluído no elenco da MLS All-Star para a disputa da MLS All-Star Game 2018 que teve início em 1º de agosto e logo de cara, o Vancouver Whitecaps jogou contra a Juventus da Itália. Davies fez uma aparição durante a partida, que terminou com uma derrota nos pênaltis por 5-3 diante do time italiano após um empate por 1-1 no tempo regulamentar.
Posteriormente, Davies foi eleito o “Jogador do Ano” do Vancouver Whitecaps FC em 24/10/2018 e também recebeu o prêmio de Gol do Ano do Whitecaps. No último jogo de Davies com a camisa do Vancouver Whitecaps em 28/10/2018, partida válida pela última rodada (34ª) dessa edição da MLS, ele marcou os gols da vitória por 2–1 sobre o Portland Timbers no BC Place Stadium.
Em suma, em sua última temporada com a camisa dos Caps, Alphonso Davies disputou 33 partidas, fez 8 gols e proveu 10 assistências. Quanto ao Vancouver Whitecaps, foi vice-campeão do Campeonato Canadense e terminou em 14º lugar na Major League Soccer.
PdGmACACVMj no ano de 2018
33810202558
Gols marcados na Major League Soccer

Bayern de Munique

2018-19

Alphonso Davies sendo apresentado como novo reforço do Bayern de MuniqueEm 25 de julho de 2018, o Vancouver Whitecaps anunciou que havia chegado a um acordo com o Bayern de Munique da Alemanha, uma transferência multimilionária de Davies para o clube alemão. Acordou-se que o jovem lateral-esquerdo naturalizado canadense se apresentaria ao Bayern em janeiro de 2019 e com isso, ele jogaria até o fim daquele ano (2018) com a camisa dos Caps. A taxa básica para a transferência foi de 13,5 milhões de dólares (cerca de 77,4 milhões de reais) com bônus relacionados ao desempenho totalizando US$ 22 milhões (cerca de 126,1 milhões de reais), um recorde para a MLS na época, mais tarde o valor desta transferência foi superado pela compra de Miguel Almirón junto ao Newcastle United da Inglaterra.
Davies teve sua primeira sessão de treinos com o Bayern em 21/11/2018 e fez sua estreia pelo novo clube em 12 de janeiro de 2019 contra o Borussia Mönchengladbach na final da Telekom Cup, a qual o time bávaro – Bayern de Munique – venceu nos pênaltis após um empate sem gols no tempo regulamentar e na prorrogação.
Em 27/01/2019, em jogo da 19ª rodada da Bundesliga (Campeonato Alemão), Niko Kovač promoveu a estreia de Davies quando o colocou em campo aos 41 minutos da segunda etapa no lugar de Kingsley Coman de um jogo no qual o Bayern venceu o Stuttgart por 4-1 na Allianz Arena (estádio do Bayern).
Pela 26ª rodada do Campeonato Alemão, em 17/03/2019, o lateral-esquerdo canadense entrou em campo aos 14 minutos da segunda etapa no lugar de David Alaba e 11 minutos depois, fez seu primeiro gol pelo novo clube, um gol que selou o resultado da partida; goleada do time bávaro por 6-0 sobre o Mainz 05. Ao fazê-lo, e com a idade de 18 anos, 4 meses e 15 dias de idade, Davies tornou-se o jogador mais jovem desde Roque Santa Cruz, 20 anos antes, a marcar pelo clube. Ele é o primeiro jogador canadense a marcar um tento com a camisa do Bayern.
Em 18/05/2019, Davies conquistou seu primeiro título da carreira – Bundesliga – com o time bávaro terminando 2 pontos na frente do Borussia Dortmund. Uma semana depois, o canadense conquistou seu segundo título pelo novo clube – Copa da Alemanha – na vitória do Bayern por 3-0 sobre o RB Leipzig. Davies viu o Bayern se sagrar campeão do banco de reservas.
Em suma, em sua 1ª temporada na Alemanha, Alphonso Davies marcou 1 tento em 6 partidas disputadas. Quanto ao Bayern de Munique, além de ter sido campeão do Campeonato Alemão, da Copa da Alemanha e da Supercopa da Alemanha, foi eliminado nas oitavas de final da UEFA Champions League (Liga dos Campeões da Europa).
PdGmACACVMj na temporada 2018-19
111110524
Gol marcado na Bundesliga

2019-20

Em 3 de agosto de 2019, na decisão da Supercopa da Alemanha, Davies entrou no lugar de Thomas Müller aos 21 minutos do segundo tempo, mas ainda assim o Borussia Dortmund foi superior e venceu o Bayern por 2-0 e consequentemente, sagrou-se campeão desta edição da Supercopa da Alemanha.
Em 31/08/2019, em jogo da 3ª rodada da Bundesliga, o camisa 19 do time bávaro – Davies – entrou em campo aos 22 minutos da segunda etapa no lugar de Ivan Perišić e 14 minutos depois, fez o gol que fechou o placar da partida; goleada por 6-1 sobre o Mainz 05 na Allianz Arena.
Pela 9ª rodada do Campeonato Alemão em 26/10/2019, Niko Kovač promoveu a estreia do lateral-esquerdo canadense entre os titulares e no seu primeiro jogo como titular, vitória do Bayern por 2-1 sobre o Union Berlin. Na rodada seguinte, em 02/11/2019, no seu 19º aniversário, Davies proveu assistência para o gol de Robert Lewandowski na derrota por 5-1 contra o Eintracht Frankfurt fora de casa. Este resultado culminou com a demissão de Kovač e com isso, Hans-Dieter Flick, até então técnico auxiliar, assume o comando do time bávaro.
Em 06/11/2019, em partida válida pela 4ª rodada da fase de grupos da Champions League, Flick escalou Davies entre os titulares e na estreia do canadense em um jogo neste torneio, vitória dos bávaros por 2-0 sobre o Olympiacos da Grécia na Allianz Arena. Ao longo desta temporada, o canadense jogou como lateral-esquerdo e em decorrência disso, David Alaba teve de fazer outra função e sendo assim, passou a atuar como zagueiro. Davies recebeu muitos elogios durante seu tempo nessa função, ganhando uma reputação precoce como um dos melhores laterais esquerdos do mundo.

PdGmACACVMj na temporada 2019-20
46310513676
Gols marcados na Bundesliga

2020-21


PdGmACACVMj na temporada 2020-21
80100390
a temporada 2020-21 está em andamento
Títulos que conquistou pelo Bayern de Munique - UEFA Champions League: 2019-20 - Supercopa da UEFA: 2020 - Bundesliga: 2018-19 e 2019-20 - Copa da Alemanha: 2018-19 e 2019-20 - Supercopa da Alemanha: 2020
- O vídeo abaixo mostra todos os gols e assistências de Davies com a camisa do Bayern na temporada 2019-20 - Este vídeo foi publicado no YouTube em 17 de agosto de 2020pela Bundesliga

Números de Davies na Seleção Canadense

Canadá

Seleções de Base


Seleção Principal


Copa Ouro 2017


PdGmACACVMj
43000258

Copa Ouro 2019


PdGmACACVMj
40300320

Liga das Nações da CONCACAF A


PdGmACACVMj
42100325

Prêmios individuais - Chuteira de Ouro da Copa Ouro da CONCACAF de 2017 - Melhor Jogador Jovem da Copa Ouro da CONCACAF de 2017 - Seleção da Copa Ouro da CONCACAF de 2017 - 60 jovens promessas do futebol mundial de 2017 (The Guardian) - Equipe ideal da Liga dos Campeõesda UEFA: 2019–20
Artilharias - Copa Ouro da CONCACAF de 2017 (3 gols)

Considerações Finais


O post A Carreira de Alphonso Davies em Números apareceu primeiro em Futebol Stats.
from Futebol Stats https://bit.ly/2TTjBUS
via IFTTT
submitted by futebolstats to SiteFutebolStats [link] [comments]


2020.11.03 22:41 dudu_floreste44 Não consigo fazer nada

Eu não consigo fazer nada porque tenho depressão severa. Parei de jogar meus jogos, também diminuí minhas calls com amigos.
Se fosse só isso tava tudo bem mas eu tenho coisas da escola pra fazer, também tenho meu TCC e vestibular. Já é novembro e eu não estudei porra nenhuma, e meus colegas do TCC tão me cobrando.
Só passo o dia na cama pensando como vou me matar e até quando vou durar desse jeito.
submitted by dudu_floreste44 to desabafos [link] [comments]